Mustafá quer Zinho no Palmeiras

O presidente do Palmeiras, Mustafá Contursi, assumiu as negociações para a contratação do meia Zinho. Nesta sexta-feira, ligou várias vezes durante a tarde para o jogador, que desligou-se do Grêmio esta semana. Como não obteve resposta, o dirigente determinou ao diretor de futebol do clube, Sebastião Lapola, que faça uma oferta salarial a Zinho até domingo, temendo a concorrência do São Paulo. "Eu realmente indiquei o jogador, com quem já trabalhei e conquistei títulos. Se viesse para o Palmeiras, seria muito bom", disse o técnico Vanderlei Luxemburgo. Zinho evitou falar de seu futuro. "Já ouvi dizer que jogaria no São Paulo, no Palmeiras e no Corinthians, mas até o momento não recebi nenhuma proposta", afirmou nesta sexta-feira, por telefone. Para não alimentar especulações, o meia lembrou que já conversou até com um empresário da Arábia Saudita querendo saber sobre a possibilidade de atuar no futebol árabe. "Sou um cara calejado, não entro mais em conversas de empresários. Alguns são sérios, mas a maioria só pensa em ganhar dinheiro". Até o diretor de Futebol do Palmeiras, Sebastião Lapola, rendeu-se às evidências e admitiu o interesse pelo ex-jogador do Grêmio. "Faz parte de uma lista da qual constam outros nomes". Outros negócios - A renovação do contrato do atacante Nenê até o final do ano ainda não foi concretizada. O procurador do jogador, Nenê Cardoso, reuniu-se nesta sexta-feira com Lapola para acertar um reajuste salarial, fato que está atrasando a assinatura de um novo vínculo. Atualmente Nenê recebe R$ 7 mil por mês. "Está praticamente tudo certo, mas ainda preciso ler o contrato", afirmou o jogador. Para sábado é esperada a reapresentação do paraguaio Arce, liberado pela diretoria do Palmeiras para viajar a Assunção.

Agencia Estado,

02 Agosto 2002 | 22h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.