1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Nenê celebra permanência no Vasco, mas nega ser 'salvador da pátria'

- Atualizado: 20 Janeiro 2016 | 13h 16

Se o Vasco teve um ano para esquecer em 2015, ao menos um ponto bastante positivo ficou para esta temporada. Nenê chegou ao clube com o Campeonato Brasileiro em andamento, comandou uma arrancada na reta final da competição, mas não impediu o rebaixamento. Ainda assim, decidiu permanecer em São Januário, para delírio dos torcedores, que transformaram o meia-atacante em ídolo mesmo com o pouco tempo de casa.

"A firmeza do Eurico (Miranda), o trabalho do Jorginho, tudo pesou (para eu ficar), principalmente a torcida. Falei: ''Não tem jeito''. Acho que tinha que cumprir minha missão. Uma boa hora para continuar junto e colocar o clube no lugar onde merece. Parece que estou aqui há muito tempo. Essa identificação com a torcida, não tem preço tudo isso. Pesou muito na minha decisão", declarou nesta quarta-feira.

Nenê assinou a prorrogação de seu contrato por duas temporadas na última terça, apesar do interesse de diversos outros times brasileiros. O jogador é a principal aposta da diretoria e da torcida para comandar o Vasco em uma temporada que promete ser dura e levá-lo de volta à elite do Brasileirão. Ele próprio sabe da responsabilidade que o envolve, mas quer fugir do rótulo de "salvador da pátria".

"Me sinto muito feliz, mas não penso dessa maneira. A pressão acaba ficando maior. Acho que é importante manter o elenco. Isso às vezes é melhor do que alguma contratação. O mais importante é a base ser mantida. O entrosamento vem de mais tempo. Esse é o caminho certo. Fico feliz de estar representando o Vasco dessa maneira", comentou.

E mesmo com a queda para a Série B, Nenê vê o Vasco em iguais condições para disputar os títulos do Campeonato Carioca e da Copa do Brasil com os rivais da elite. "O Vasco entra de igual para igual. O time está forte. No Brasileiro, é obrigação nossa subir, pela grandeza do clube. E na Copa do Brasil, vamos com tudo para tentar conquistar esse título. O time é praticamente o mesmo, tivemos uma das melhores campanhas do segundo turno do Brasileirão. Temos tudo para conquistar títulos."

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX