1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Nervoso, Corinthians faz 2º tempo péssimo e perde de virada do Cerro Porteño

- Atualizado: 09 Março 2016 | 22h 36

Alvinegro leva 3 a 2 e termina rodada no 2º lugar no Grupo 8 da Libertadores

Um péssimo segundo tempo enterrou o Corinthians em Assunção: duas expulsões e uma virada em 45 minutos. Em vez de confirmar uma vitória diante do Cerro Porteño, o time de Tite perdeu por 3 a 2, nesta quarta-feira, no Defensores del Chaco. Foi a primeira derrota na Libertadores e a primeira com a equipe considerada titular em campo.

A sensação é amarga: afinal, a classificação poderia ter ficado bem encaminhada. O Corinthians terminou o primeiro tempo vencendo o jogo por 1 a 0. Mas dois lances capitais na saída do segundo tempo mudaram o rumo da partida. Com nove jogadores contra 11, desmoronou o esquema de Tite.

O resultado foi péssimo porque fez com que o Cerro pulasse para a liderança do Grupo 8, com sete pontos. O Corinthians tem seis na vice-liderança. A vantagem do time de Tite é que, dos nove pontos em disputa, seis (duas partidas) serão jogados em Itaquera.

Corinthians em 2016
Daniel Teixeira|Estadão
Corinthians 2 x 1 Santa Cruz

Luciano pôs fim a longo jejum e voltou a marcar na vitória por 2 a 1 sobre o Santa Cruz

O primeiro vacilo: aos três minutos do segundo tempo, Uendel não evitou o cruzamento de Leal e a bola chegou a Beltrán, que ganhou de Felipe e empatou a partida. O problema foi que, aos seis minutos, André, o autor do gol corintiano, recebeu o segundo amarelo e foi expulso corretamente.

A partir daí o jogo desandou. Nervoso, os jogadores do Corinthians passaram a cometer faltas duras. Rodriguinho também conseguiu levar dois cartões amarelos no segundo tempo e foi expulso. Guilherme só não recebeu cartão vermelho porque o juiz foi complacente.

Sem poder de marcação, o Corinthians ruiu. Nem as alterações de Tite conseguiram segurar o apetite do Cerro Porteño, que estava em crise e poderia até demitir seu treinador se fosse derrotado. Díaz, melhor jogador da partida, fez 2 a 1 aos 29 minutos, quando o Corinthians já estava com nove em campo.

Entregue, o Corinthians sofreu o terceiro. E poderia ter sofrido mais. O pênalti convertido por Giovanni Augusto, aos 42 minutos, diminuiu o placar.

O 3 a 2 só comprova que o resultado poderia ter sido outro. Porque no primeiro tempo o Corinthians fazia seu melhor jogo na Libertadores. Ao menos em número de chances criadas. Nos primeiros 45 minutos, o time de Tite criou jogadas suficientes para construir um placar melhor. O meio de campo trabalhou bem, envolveu o Cerro (muito na base da velocidade) e buscou o gol.

André, então, foi a referência. Ele não se limitou a atuar como um pivô, buscou o jogo e se movimentou (e mostrou habilidade e deu até uma caneta em um marcador). O gol marcado aos 13 minutos foi um prêmio. Como um bom artilheiro, aproveitou a falha do goleiro Anthony Silva, que soltou uma falta cobrada por Lucca.

Ficar à frente do placar foi primordial para o Corinthians, que enfrentou uma pressão inicial do Cerro no Defensores del Chaco. A primeira chance de gol do jogo, por exemplo, foi dos paraguaios, que não abriram o placar graças a Cássio.

Alerta com a atuação de Sergio Díaz, Tite tentava corrigir os problemas defensivos de sua equipe. O lado direito se mostrava vulnerável e deixava espaços entre o lateral e o zagueiro.

Tite tenta corrigir os problemas da defesa antes mesmo dos 15 minutos iniciais - o setor direito, com Fagner, era o mais vulnerável. Após o gol de André, o Cerro se desestabilizou e deixou espaços na defesa. O Corinthians cresceu. Pressionou e buscou o gol: bola na trave e uma chance incrível desperdiçada por André. Esses gols fizeram uma falta e tanto.

Até porque veio o segundo tempo e os erros, somado ao descontrole dos jogadores, acabaram por liquidar o Corinthians.

No outro jogo disputado pelo Grupo 8 nesta quarta-feira, o Santa Fe venceu o Cobresal por 2 a 1, no Chile, e chegou aos quatro pontos na terceira posição do Grupo 8. Já o time chileno, com três derrotas em três jogos, segue na lanterna da chave.

Na próxima quarta-feira, o Corinthians receberá o Cerro Porteño no Itaquerão para recuperar a ponta do Grupo 8, o que só será possível com uma vitória.

FICHA TÉCNICA

CERRO PORTEÑO 3 X 2 CORINTHIANS

CERRO PORTEÑO - Anthony Silva; Carlos Bonet, Víctor Mareco, Bruno Valdez e Junior Alonso (Estigarribi); Fidencio Oviedo, Jorge Rojas, Rodrigo Rojas (Torales) e Sergio Díaz; Luís Leal e Beltrán (Ortigoza). Técnico: César Faria.

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Felipe, Yago e Uendel; Bruno Henrique; Giovanni Augusto, Rodriguinho, Guilherme (Romero) e Lucca (Balbuena); André. Técnico: Tite.

GOLS - André, aos 13 minutos do primeiro tempo; Beltrán, aos 3, Diáz, aos 29, Beltrán, aos 37, e Giovanni Augusto, aos 42 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Diego Haro (PER).

CARTÕES AMARELOS - Lucca, Rodrigo Rojas e Guilherme.

CARTÕES VERMELHOS - André e Rodriguinho.

PÚBLICO E RENDA - não disponíveis.

LOCAL - Defensores del Chaco, em Assunção (PAR).

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX