Miguel Schincariol/AFP
Miguel Schincariol/AFP

Neymar celebra missão cumprida pela seleção e reclama da arbitragem por cartão

Atacante deu uma assistência na vitória do Brasil por 3 a 0 sobre o Chile no Allianz Parque

Leandro Silveira, O Estado de S.Paulo

11 Outubro 2017 | 00h10

Missão cumprida. Foi assim que o atacante Neymar definiu o fim vitorioso da campanha da seleção brasileira nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo, concluída nesta terça-feira com a vitória por 3 a 0 sobre o Chile, no Allianz Parque.

+ Gabriel Jesus vibra com noite inesquecível em 'sua casa'

+ Tite exalta futebol da seleção: 'Dá pra jogar bonito e ganhar'

"Agora é cabeça no lugar e pensar no clube. O papel na seleção está feito", disse Neymar, que desta vez passou em branco, mas deu a assistência para um dos dois gols de Gabriel Jesus, além de ter se destacado em cobranças de falta que assustaram o goleiro Claudio Bravo.

Neymar, porém, parecia "pilhado" no confronto com o Chile, se envolvendo em diversos lances de falta e discussões com os adversários. O atacante, inclusive, correu o risco de ser expulso, ao acertar o rosto de Aránguiz no final do primeiro tempo, sendo advertido com o cartão amarelo.

Após o jogo, porém, ele reclamou do árbitro equatoriano Roddy Zambrano. "Era lance de interpretação. E nunca é a favor de mim", afirmou Neymar, que ficaria fora da estreia do Brasil na Copa do Mundo caso fosse advertido com o cartão vermelho. Até por isso, o técnico Tite o sacou antes do fim do jogo, promovendo a entrada de Willian.

O atacante do Paris Saint-Germain também celebrou o fato de o Brasil ter encerrado as Eliminatórias com uma vitória, além de fechar invicto a sua participação no torneio classificatório como mandante - o único revés foi logo na estreia, diante da própria seleção chilena, mas em Santiago. "Fizemos nosso papel de não perder e vencer em casa. Estou feliz pela vitória, pelo que a gente vem demonstrando como equipe", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.