1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Futebol Internacional

Neymar e Daniel Alves teriam sido vítimas de racismo na Espanha

O Estado de S. Paulo

29 Março 2014 | 17h 27

Além de imitar som de macaco, torcedores do Espanyol jogaram uma casca de banana no gramado

SÃO PAULO - Mais cenas de racismo voltaram a ocorrer no futebol mundial neste sábado. O fato, desta vez, deu-se no Estádio Cornellà-El Prat, na Catalunha, durante a vitória do Barcelona por 1 a 0 sobre o Espanyol. Além de imitarem som de macaco, os torcedores jogaram uma casca de banana no gramado. Os atos hostis podem ter sido contra os brasileiros Neymar e Daniel Alves, os únicos negros do Barcelona . Os principais jornais espanhóis não noticiaram o suposto ato racista. A informação com a foto da banana no gramado foi divulgada no site Sphera Sports Channel.

Neymar foi um dos principais personagens da partida válida pela 31.ª rodada do Campeonato Espanhol. Aos 19 minutos do primeiro tempo, quando o placar apontava 0 a 0, o jogador perdeu gol na pequena área, sem marcação, ao completar cruzamento de Daniel Alves. A bola passou perto do travessão. Na etapa final, a 13 minutos do término do jogo, o craque brasileiro disputou a bola dentro da área. O zagueiro Javi López tocou a mão na bola e o árbitro marcou pênalti, convertido por Messi para o gol da vitória.

Recentemente, o futebol brasileiro teve três casos de racismo. No Peru, os torcedores do Real Garcilaso também imitaram som de macaco nas arquibancadas. A vítima na ocasião foi o volante Tinga, do Cruzeiro. Já no Rio Grande so Sul, o árbitro Márcio Chagas teve seu carro riscado na saída do Estádio Montanha dos Vinhedos, em Bento Gonçalves.

Torcedores do Esportivo também colocaram bananas no teto e no cano de escapamento do automóvel de Chagas. Arouca, do Santos, também sofreu com o preconceito ao ser xingado por torcedores do Mogi Mirim após um jogo do Paulistão.

Futebol Internacional