1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Neymar tem desempenho discreto nos treinos da seleção brasileira

Luiz Antônio Prósperi - Enviado especial - O Estado de S. Paulo

30 Maio 2014 | 15h 14

Atacante repete passos de antigos craques do Brasil e é sempre o último a entrar em campo

TERESÓPOLIS - Neymar ainda não se conectou com a sua grandeza dentro da atual seleção brasileira. Em três dias de trabalho na Granja Comary, o craque quase não foi notado nos treinamentos, mesmo com o esforço que tem feito para "vender" a sua imagem. Coincidência ou não, sempre é o último a entrar em campo. Ele só pisa na grama quando seus companheiros já estão lá ouvindo as primeiras instruções de Luiz Felipe Scolari. Nesta sexta-feira ensolarada na concentração do Brasil em Teresópolis, Neymar repetiu a cena.

Craques do passado, como Romário, Ronaldo e Ronaldinho Gaúcho também tinham essa tipo de comportamento. Quem entra por último no campo é mais visado pelas lentes da tevê e dos fotógrafos. Mais vale uma boa imagem do que uma boa performance.

Começa o treino, chutes a gol - valia de pé esquerdo e de pé direito - e Neymar não emplaca uma bela finalização. No terceiro chute, o craque manquitola e se dirige à beira do campo. O roupeiro vem correndo com um par novinho, reluzente, de chuteiras. Neymar se ajoelha, troca um pé. Ajoelha de novo, troca outro pé. Mais um alvo especial na mira dos fotógrafos e cinegrafistas que, certamente, registraram a imagem das chuteiras.

Pode ser uma coincidência, mas, ao trocar as botas de jogo, valoriza o patrocinador. A imprensa espanhola, vira e mexe, tem se queixado desses estranhos hábitos de Neymar, inclusive em dias de jogos, de trocar as chuteiras.

De calçados novos, Neymar volta aos treinos de finalização a gol. Então, vamos contar: em oito chutes, acertou três e errou cinco - aproveitamento bem abaixo da sua média. Aliás, seus companheiros foram muito mal nesse fundamento.

Depois do bombardeio nos goleiros, Felipão escalou os jogadores para um "rachão". Time de camisa verde limão contra time de coletes azuis. Neymar defendeu os azuis. Seu time foi derrotado por 5 a 3. Neymar fez dois gols e deu o passe para mais um. Ele gosta de treinar com a bola rolando quando seus feitos valem mais que as imagens de seus patrocinadores.

Copa 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo