Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal

No Corinthians, atacante Clayson realiza sonho em memória do pai

Rubão era o grande incentivador do filho no futebol profissional

Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

19 Maio 2017 | 07h00

Em cinco anos, o atacante Clayson passou de promessa do União São João a reforço do Corinthians. Além de atingir o objetivo de chegar a um "clube grande" aos 22 anos, o jogador realiza o sonho do pai Rubens, que não está presente para acompanhar a ascensão do filho. Em sua memória, tem a ambição de vestir a camisa da seleção brasileira. 

"As coisas vêm acontecendo rápido, mas eu trabalho forte para conquistar meus objetivos. É uma honra vestir essa camisa, espero corresponder da melhor maneira possível", exaltou. E disse mais: "Seleção brasileira todo jogador sonha, estou acabando de chegar em um grande clube, espero trabalhar bastante para um dia chegar à seleção, que é auge de qualquer jogador".

O desejo de Rubão, como era conhecido, era ver o garoto seguir carreira como jogador profissional. E os laços entre pai e filho eram ainda mais fortes pela responsabilidade de criação de Clayson assumida após a separação da mulher. Os primeiros passos no futebol foram dados no Botucatuense até o menino deixar o quintal de casa rumo ao União São João, em Araras. 

Destaque na Copa São Paulo de Futebol Júnior, em 2012, Clayson chamou a atenção de olheiros do Grêmio. Auxiliado pelo empresário Edivaldo Ferraz desde os 15 anos, mudou-se para o Sul. "Com 10 dias de treino, o diretor da base - Marco Biasotto, na época - ligou para mim e solicitou que ele tirasse passaporte. Levou o Clayson para um torneio sub-17 na Alemanha", relembra o agente. Foi campeão e artilheiro. Chegou ao time B do Grêmio, mas uma troca da comissão técnica acabou decretando o fim de sua trajetória no clube.

O recomeço veio no Ituano, sob a gestão de Juninho Paulista, onde estreou entre os profissionais. Nas mãos de Doriva e Tarcísio Pugliese, evoluiu e deu mais um passo na carreira. Despertou o interesse da Ponte Preta, onde foi negociado por empréstimo.

O bom desempenho fez com que, em agosto de 2015, o time de Campinas comprasse 40% dos direitos econômicos de Clayson. Uma grande alegria para o pai. Dias depois, o atacante estava concentrado para um jogo contra o Vasco quando recebeu a notícia da morte de Rubão. Foi preciso maturidade para superar a perda de seu grande incentivador.

Sob o comando de Eduardo Baptista, Clayson conquistou de vez seu espaço na Ponte Preta. Ao lado de William Pottker e Lucca, o atacante mostrou habilidade no início desta temporada e foi eleito a revelação do Campeonato Paulista. Nesta quinta-feira, assinou contrato com o Corinthians até dezembro de 2017. E espera corresponder à altura a expectativa que começou lá atrás, com Rubão, em Botucatu. 

 

Mais conteúdo sobre:
Futebol Corinthians Clayson

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.