Bruno Faleiro / Cruzeiro
Bruno Faleiro / Cruzeiro

No Paraguai, Cruzeiro tenta esquecer revés estadual para avançar na Sul-Americana

Segundo o goleiro Rafael, clube não irá jogar apenas para se defender

Leandro Silveira, Estadão Conteudo

10 Maio 2017 | 07h50

Ainda abalado pela derrota para o rival Atlético na decisão do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro agora volta as suas atenções para a disputa da Copa Sul-Americana, preocupado em evitar nova decepção. E nesta quarta-feira, a partir das 19h15, no Defensores del Chaco, o time defende a vantagem adquirida no confronto de ida com o paraguaio Nacional.

No primeiro jogo da série, no Mineirão, o Cruzeiro superou o oponente por 2 a 1, resultado que deixa a equipe precisando de um empate para se garantir na segunda fase da Copa Sul-Americana. Mas a ordem do técnico Mano Menezes é clara: o time não pode pensar apenas em se defender para carimbar a sua vaga na fase seguinte, ainda mais porque foi vazado no Mineirão.

"A vitória é importante, mas não podemos colocar o regulamento debaixo do braço. Vamos fazer um grande jogo. O time do Nacional vem pra cima, podemos aproveitar isso, mas o Cruzeiro é um time que tem muita qualidade técnica, posse de bola, jogadores que criam. Não acredito que vamos só para defender e será um jogo parelho", projetou o goleiro Rafael.

Mano já indicou que pretende manter a base dos últimos jogos, mas ganhou um problema de última hora para o compromisso no Paraguai. O atacante Rafael Sobis reclama de dores na coxa esquerda e não participou do treinamento do time na véspera da partida contra o Nacional, em Assunção.

A presença de Sobis dependerá de uma avaliação momentos antes do confronto no Defensores del Chaco. E caso o titular seja vetado, a sua vaga ficará com o argentino Ábila, artilheiro do Cruzeiro na temporada e em alta com a torcida após marcar um belo gol na finalíssima do Mineiro.

Lesionados, o lateral-direito Ezequiel e o meio-campista Rafinha seguem desfalcando o Cruzeiro. Assim, o time deve entrar em campo nesta quarta-feira com a seguinte formação: Rafael; Mayke, Leo, Kunty Caicedo e Diogo Barbosa; Henrique e Hudson; Thiago Neves, Arrascaeta e Rafinha; Rafael Sobis (Ábila).

Rival do Cruzeiro, o Nacional mudou de patamar desde a derrota no jogo de ida, no início de abril, quando era o penúltimo colocado no Campeonato Paraguaio. Desde então, somou três vitórias, um empate e uma derrota em cinco compromissos, se aproximando das primeiras posições.

O técnico Roberto Torres aposta suas fichas no atacante uruguaio Juan Manuel Salgueiro, que defendeu o Botafogo no ano passado, e no meia argentino Jonathan Santana, autor do gol do Nacional no Mineirão, para avançar na Sul-Americana. Uma vitória por 1 a 0 é suficiente para o time paraguaio.

Mais conteúdo sobre:
futebol Cruzeiro Copa Sul-americana

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.