Raúl Martínez/EFE
Raúl Martínez/EFE

No Uruguai, Cavani minimiza polêmica com Neymar: 'São coisas do futebol'

Segundo o uruguaio, a confusão ganhou repercussão maior do que a necessária

Estadão Conteúdo

02 Outubro 2017 | 22h06

Pouco mais de 15 dias depois do início de toda a polêmica com o atacante brasileiro Neymar, o centroavante uruguaio Edinson Cavani finalmente resolveu falar. E, em uma entrevista coletiva em Montevidéu - onde já está com a seleção do Uruguai para os dois últimos jogos das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018, na Rússia - tratou logo de minimizar qualquer problema de relacionamento que tem com o seu recente companheiro de equipe no Paris Saint-Germain, na França.

+ Governo do Ceará negocia amistoso entre Fortaleza e PSG para dezembro

Na semana passada, Neymar já havia desmentido qualquer desentendimento com Cavani na hora de decidir quem cobrará faltas e pênaltis no Paris Saint-Germain. Logo questionado na entrevista coletiva desta segunda-feira sobre o assunto, Cavani reforçou o discurso do companheiro de time e minimizou qualquer problema. Segundo o uruguaio, a confusão ganhou repercussão maior do que a necessária.

"São coisas do futebol. Às vezes ficam tão grande. A verdade é que todos são conscientes que as coisas ficaram maiores do que são. São coisas se conversam dentro do vestiário, tudo tem solução. Já está tudo tranquilo. Importante é que todos lutem pelo mesmo objetivo, seja na seleção, seja na equipe onde está", disse Cavani.

Prova disso é que no último sábado, na goleada do Paris Saint-Germain sobre o Bordeaux por 6 a 2, no estádio Parque dos Príncipes, em Paris, pelo Campeonato Francês, Neymar fez dois gols - sendo um em cobrança de pênalti - e Cavani marcou um. Os dois até se abraçaram nas comemorações.

A polêmica entre os dois surgiu no triunfo do Paris Saint-Germain sobre o Lyon por 2 a 0, no último dia 17. O brasileiro pediu ao uruguaio para cobrar uma penalidade, mas Cavani recusou. E depois errou a cobrança. Os dois, segundo o jornal francês L’Equipe, discutiram no vestiário logo após a partida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.