1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Nobre sobre Gareca: 'Melhor ser proativo que reativo'

Ciro Campos - O Estado de S. Paulo

01 Setembro 2014 | 17h 53

'Os resultados não aconteceram', disse presidente, que encara discordância de parte da torcida sobre decisão de demitir treinador 

A demissão de Ricardo Gareca nesta segunda-feira não chegou a ser uma surpresa, já que o argentino não conseguiu os resultados esperados no Palmeiras, mas ainda assim foi contestada por parte da torcida, que queria a permanência do técnico. Pouco após o anúncio da saída, o presidente Paulo Nobre explicou a decisão e garantiu: "É melhor ser proativo do que reativo".

"Os resultados não aconteceram, isso é fato. Quando trouxemos o Gareca e também quando renovamos com o (Gilson) Kleina visávamos ser o melhor para o Palmeiras. O Gareca é um excelente técnico, o currículo dele já diz isso. Infelizmente o resultado não deu certo no tempo que imaginávamos. Sem dúvida que o Gareca daria certo, mas o Brasileirão está pela metade, o Palmeiras está em uma posição incômoda e se tomássemos uma atitude depois, poderia ser tarde mais. Melhor ser proativo do que reativo", declarou.

Em três meses de trabalho, foram 13 jogos sob o comando de Gareca, com quatro vitórias, um empate e oito derrotas. No retrospecto somente no Brasileirão, o desempenho é ainda pior, com apenas 16,6% de aproveitamento e a 16.ª colocação, apenas uma acima da zona de rebaixamento. Sem o argentino, Alberto Valentim assume interinamente. E mesmo sem um "plano B" preestabelecido, Nobre defendeu a decisão pela demissão.

JF Diorio/Estadão
Para o presidente do Palmeiras, clube precisa de resolução imediata

"O Alberto Valentim assume interinamente o time até chegar o novo técnico. Não é o ideal a troca de técnico no decorrer de uma competição. Isso foge também da nossa filosofia de trabalho, porém chegamos à conclusão que os resultados não vinham acontecendo, faltava evolução e por isso fizemos a troca. A diretoria pode errar por ação, mas não por omissão", afirmou.

No Brasileirão, o Palmeiras venceu apenas uma das últimas 12 partidas e se aproximou perigosamente da zona de rebaixamento, com o mesmo número de pontos do Criciúma, que é o 17.º. Um novo rebaixamento, ainda mais no ano do centenário do clube, seria desastroso, mas Paulo Nobre garantiu que a equipe ficará na primeira divisão.

"O rebaixamento é um fato que temos que trabalhar no dia-a-dia. O Palmeiras não vai cair. A torcida está de parabéns, porque se comporta de uma maneira exemplar. O time não vai cair porque com a força da torcida o elenco cresce muito. Pela atitude exemplar que a torcida está tendo, vamos contar com o Pacaembu com mais de 30 mil pessoas", comentou.