Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Operação investiga sonegação fiscal em negociações na Itália

Futebol

Alessandro Garofalo/Reuters

Esportes

Milan

Operação investiga sonegação fiscal em negociações na Itália

Transferências de atletas feitas entre 2009 e 2013 são analisadas

0

EFE

26 Janeiro 2016 | 11h40

A Guarda Financeira da Itália abriu investigação contra 64 personalidades do futebol, incluindo jogadores e dirigentes, por causa de um suposto esquema de "sonegação de impostos" na transferência de atletas, informa nesta terça-feira a imprensa italiana.

Entre os alvos da operação estão o diretor-esportivo do Milan, Adriano Galliani, o presidente do Napoli, Aurelio De Laurentiis, o presidente da Lazio, Claudio Lotito, assim como o atacante Ezequiel Lavezzi, agora no Paris Saint-Germain, e o ex-jogador Hernán Crespo, agora técnico do Modena, da segunda divisão do país.

A investigação se refere a transferências feitas entre 2009 e 2013, com suspeitas de que se trata de um "esquema" que contaria com a participação de 35 clubes das Série A e B do Campeonato Italiano.

Durante a operação, a sede do Milan foi revistada, com a apreensão de documentos. Ainda de acordo com a imprensa italiana, nas diversas ações já realizadas pela Guarda Financeira, bens avaliados em 12 milhões de euros (R$ 53,3 milhões) já foram confiscados.

Em comunicado, o Milan defendeu seu diretor-esportivo, garantindo que o dirigente italiano é inocente de qualquer acusação, e que isso será provado em todas as esferas.

"A Promotoria da República de Nápoles decidiu notificar Adriano Galliani sobre as investigações sobre um fato absolutamente marginal e sem provas, que se resolverá, tanto em nível fiscal como em nível penal, em um necessário arquivamento", diz o texto, assinado pelos advogados do clube, Niccoló Ghedini e Leandro Cantamessa. 

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.