1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Operação investiga sonegação fiscal em negociações na Itália

- Atualizado: 26 Janeiro 2016 | 11h 50

Transferências de atletas feitas entre 2009 e 2013 são analisadas

A Guarda Financeira da Itália abriu investigação contra 64 personalidades do futebol, incluindo jogadores e dirigentes, por causa de um suposto esquema de "sonegação de impostos" na transferência de atletas, informa nesta terça-feira a imprensa italiana.

Entre os alvos da operação estão o diretor-esportivo do Milan, Adriano Galliani, o presidente do Napoli, Aurelio De Laurentiis, o presidente da Lazio, Claudio Lotito, assim como o atacante Ezequiel Lavezzi, agora no Paris Saint-Germain, e o ex-jogador Hernán Crespo, agora técnico do Modena, da segunda divisão do país.

Diretor-esportivo do Milan, Adriano Galliani, está entre os alvos da investigação

Diretor-esportivo do Milan, Adriano Galliani, está entre os alvos da investigação

A investigação se refere a transferências feitas entre 2009 e 2013, com suspeitas de que se trata de um "esquema" que contaria com a participação de 35 clubes das Série A e B do Campeonato Italiano.

Durante a operação, a sede do Milan foi revistada, com a apreensão de documentos. Ainda de acordo com a imprensa italiana, nas diversas ações já realizadas pela Guarda Financeira, bens avaliados em 12 milhões de euros (R$ 53,3 milhões) já foram confiscados.

Em comunicado, o Milan defendeu seu diretor-esportivo, garantindo que o dirigente italiano é inocente de qualquer acusação, e que isso será provado em todas as esferas.

"A Promotoria da República de Nápoles decidiu notificar Adriano Galliani sobre as investigações sobre um fato absolutamente marginal e sem provas, que se resolverá, tanto em nível fiscal como em nível penal, em um necessário arquivamento", diz o texto, assinado pelos advogados do clube, Niccoló Ghedini e Leandro Cantamessa. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX