1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

Operário morre na Arena Amazônia em mais um acidente em obras da Copa

Luciana Dias e Paulo Favero - O Estado de S. Paulo

07 Fevereiro 2014 | 16h 39

Fatalidade ocorrida nesta sexta-feira foi confirmada pela UGP Copa do Amazonas

SÃO PAULO - A Unidade Gestora do Projeto Copa (UGP Copa) de Manaus confirmou a morte do funcionário Antônio José Pita Martins, de 55 anos e que trabalhava nas obras da Arena da Amazônia, uma das sedes da Copa do Mundo de 2014. O boletim médico divulgado pelo Hospital João Lúcio, em Manaus, informou que o operário morreu na mesa de cirurgia. Com essa fatalidade já são oito mortes em obras do torneio, sendo seis ligadas diretamente a acidentes de trabalho: três na Arena Amazônia, outras duas na Arena Corinthians, em São Paulo, e uma no Mané Garrincha, em Brasília.

Os outros dois casos que ocorreram em obras da Copa do Mundo foram em decorrência de problemas cardíacos: Abel de Oliveira, que faleceu em junho de 2012 ao passar mal no canteiro de obras do Mineirão, em Belo Horizonte, e José Antônio do Nascimento, morto pelo mesmo motivo enquanto trabalhava na construção da Arena Amazônia, estádio que tem previsão de entrega para o dia 14 de fevereiro.

Segundo informações preliminares, uma peça de ferro de um guindaste caiu na cabeça do operário. Ele sofreu vários ferimentos e um traumatismo profundo no crânio. Outros dois funcionários passaram mal e também estão sob atendimento médico. Pita Martins era funcionário da Martifer, empresa que venceu a licitação para montar os arcos metálicos da cobertura do estádio.

De acordo com funcionários da obra, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) demorou de 15 a 20 minutos para chegar ao local do acidente e o operário ferido foi socorrido por colaboradores de uma Unidade Móvel particular. O homem foi levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

No final da tarde, tanto o governo do Amazonas quanto a empresa Martifer divulgaram notas de pesar sobre a morte do operário.

POSIÇÃO DO GOVERNO

O Governo do Amazonas lamenta o falecimento do técnico Antonio José Pita Martins, que não resistiu aos ferimentos provocados por um acidente com um guindaste nas imediações do Sambódromo, na manhã desta sexta-feira, 7 de fevereiro. A empresa Martifer, para qual o técnico prestava serviço, assegurou ao Governo do Estado que prestará toda assistência à família de Antonio. Segue, abaixo, nota da Martifer sobre o ocorrido. Mais abaixo, encaminhamos o boletim médico divulgado pelo Hospital e Pronto Socorro Dr. João Lúcio Pereira Machado.

NOTA DA CONSTRUTORA

A Martifer Construções Metalomecânicas SA com muito pesar, informa que, por volta das 8h da manhã de hoje, 07/02/2014, um técnico de guindaste de grande porte, funcionário da empresa, sofreu um acidente nas dependências do sambódromo enquanto desmontava o guindaste de grande porte, desmobilizado em área externa a obra desde 11/01/2014. O técnico foi socorrido pela equipe de Segurança do Trabalho e levado pelo SAMU até o hospital 28 de Agosto, onde teve seu quadro de saúde estabilizado e foi transferido para o hospital João Lúcio onde veio a falecer mais tarde. A empresa neste momento presta toda a assistência a família e apura as causas do acidente.

BOLETIM MÉDICO - HOSPITAL E PRONTO SOCORRO DR. JOÃO LÚCIO PEREIRA MACHADO

DATA:  07/02/2014

NOME DO PACIENTE: ANTONIO JOSÉ PITA MARTINS

IDADE: 55

Paciente deu entrada na unidade às 9h51, transferido do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, trazido pela ambulância do SAMU, com quadro de trauma encefálico grave, múltiplas lesões no tórax, em intubação endotraquial, drenagem de tórax, estabilizado. Nesta unidade o paciente passou por reavaliação multidisciplinar (cirurgião geral, ortopedista, entre outros) e neurocirurgião. Foi submetido à tomografia de tórax e de abdômen, que apontou contusão discreta; e tomografia de crânio, com identificação de hematoma subdural  bi-lateral. Encaminhado ao Centro Cirúrgico, o paciente foi submetido à craniotomia descompressiva, mas sofreu parada cardiorrespiratória durante o procedimento. Passou por manobras de reanimação, mas não resistiu. O óbito foi registrado às 12h30.

Copa 2014