Bruno Cantini / Atlético-MG
Bruno Cantini / Atlético-MG

Oswaldo celebra vitória atleticana e diz que Robinho e Yago decidiram clássico

Volante cria das divisões de base substituiu Elias e obteve bom desempenho

Estadão Conteúdo

23 Outubro 2017 | 09h54

O técnico Oswaldo de Oliveira avaliou que o atacante Robinho, autor de dois gols, e os reservas que entraram em campo durante o segundo tempo - Yago, Cazares e Clayton - foram determinantes para a vitória do Atlético Mineiro por 3 a 1 sobre o Cruzeiro, domingo, no Mineirão, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Afinal, o time mudou de comportamento na etapa final e conseguiu a virada após ir ao intervalo perdendo por 1 a 0.

+ Mano diz que faltou poder de definição ao Cruzeiro para vencer clássico

Com Corinthians, Fluminense e Atlético-MG, Florida Cup divulga tabela para 2018

"Sempre digo aos jogadores, e falo isso no treinamento, que quem está no banco, quando entra, é para decidir. Vai jogar dez, vinte, quarenta e cinco minutos, tem que entrar para decidir o jogo. Não posso trocar o jogador e ele não me oferecer nada de volta. Ao invés de noventa, vai correr trinta, vinte e cinco, então, nesse tempo, ele tem que dar o que ele puder. E tanto o Cazares como o Clayton também fizeram isso. Muito pelo Yago, pelos outros dois e, principalmente, pelo Robinho, o Atlético venceu a partida", analisou o treinador.

Os principais elogios de Oswaldo foram reservados a Yago. O treinador indicou que chegou a cogitar escalar o volante, formados nas divisões de base do clube, por causa da suspensão de Elias, mas acabou o deixando no banco de reservas, o acionando após o intervalo, quando sacou Roger Bernardo. E, nas palavras do técnico atleticano, Yago "mudou o jogo".

"Tenho muitas informações das pessoas que trabalham comigo e tenho o observado muito no treinamento, principalmente de quarta-feira para cá, depois que a gente perdeu o Elias. Era uma situação que, talvez, a gente precisasse lançar mão. Parece que ele fez a leitura e, durante o treinamento, mostrou para mim que tinha condições de entrar e fazer o que ele fez. Inclusive, fez uma leitura muito boa do jogo. Acho que ele mudou o jogo. Começou pressionando os volantes do Cruzeiro na medida em que o segundo tempo foi se desenvolvendo. Quando fizemos o gol e, por um lance muito fortuito, fizemos logo o segundo, olhei para ele e ele já tinha feito a leitura, que o Cruzeiro iria se lançar e ele precisava ter um posicionamento mais adequado para a nova situação de jogo. Um jogador com essa capacidade é muito legal e fico muito feliz de poder contar com ele", avaliou.

A vitória no clássico mineiro levou o Atlético aos 41 pontos, em décimo lugar no Brasileirão. O time voltará a jogar no próximo domingo, quando vai encarar o Botafogo, no Independência, pela 31ª rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.