1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Oswaldo de Oliveira entende vaias ao Santos e defende Leandro Damião

Agência Estado

21 Abril 2014 | 09h 25

Atacante, contratado por R$ 42 milhões, passa em branco mais uma vez com a camisa santista

SANTOS - Não fosse um gol bastante polêmico de Gabriel, quase no finalzinho do jogo, o Santos teria estreado no Brasileirão, domingo, com uma derrota para o Sport. A torcida, porém, não gostou nada do empate em 1 a 1 com o time pernambucano, no primeiro tropeço da equipe santista na Vila Belmiro na temporada, e vaiou a equipe ao fim da partida.

O técnico Oswaldo de Oliveira diz entender a postura das arquibancadas. "Eu acho que o Santos jogou para ganhar o jogo e não conseguiu. Acabou tendo um resultado satisfatório, porque no final conseguimos empatar. Pelo que o Santos criou, poderia ter vencido a partida com folga, porque teve oportunidade de marcar", comentou o treinador.

Para ele, a postura do Sport dificultou o trabalho do time santista. "É uma questão difícil. Geralmente os adversários atuam com uma postura mais defensiva. Isso é um fator que dificulta muito, a gente trabalha para forçar o adversário ao erro. Criamos as oportunidades, duas bolas na trave, poderia ter chutado um pouquinho para o lado que ela entraria."

Oswaldo de Oliveira também teve que defender Leandro Damião, bastante criticado pela torcida depois de mais um jogo sem marcar gols e sem apresentar um futebol que justifique o posto de transação mais cara da história do clube.

"O Leandro Damião continua aplicadíssimo no jogo, mas é claro que ainda não reeditou o rendimento do Internacional. Essa cobrança por tudo que foi envolvido na transação dele claro que aumenta e muito a ansiedade. Temos de ter calma, raciocinar, pensar bem, para que as coisas aconteçam dentro da naturalidade. Se todo mundo perder a cabeça não vamos ter sucesso", observou, pedindo paciência à torcida.