1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Oswaldo diz que saída do Palmeiras teve a ver com Gabriel Jesus

- Atualizado: 19 Fevereiro 2016 | 16h 35

Técnico tentou evitar pressão sobre o garoto

Demitido do Palmeiras em junho do ano passado, o técnico Oswaldo de Oliveira ainda guarda mágoas de alguns dirigentes do clube. Nesta sexta-feira, o treinador comentou sobre sua saída e admitiu que acredita ter sido dispensado pelo fato de tentar controlar a pressão sobre o atacante Gabriel Jesus.

“Foi uma luta muito grande ano passado, todo mundo forçando: "Pô, Oswaldo, tem que botar o Gabriel para jogar". E eu diz: "Vamos com calma". Mas é uma coisa que acaba extrapolando e acho até que há uma referência sobre esse caso na minha saída do Palmeiras”, disse o treinador, em entrevista à SporTV. “Quando tento controlar uma coisa que ninguém mais consegue controlar, quem vai sair é quem está tentando controlar”, completou.

Oswaldo nem tinha intenção em inscrever Gabriel Jesus no Campeonato Paulista do ano passado. Acabou cedendo a pressão e pedidos de membros da diretoria. O atacante tinha 17 anos e havia sido um dos destaques do time na Copa São Paulo, mas o treinador entendia que ele ainda não estava pronto para ser aproveitado entre os profissionais, ainda mais pelo fato de poder inscrever apenas 28 jogadores no estadual.

Oswaldo foi demitido do Palmeiras no ano passado

Oswaldo foi demitido do Palmeiras no ano passado

A situação fez com que o Oswaldo lembrasse episódio parecido vivido nos tempos em que dirigia o São Paulo e precisou proteger o meia Kaká do assédio.

“Isso me faz voltar lá em 2002, quando Belletti, Kaká e Rogério (Ceni) voltaram da Copa do Mundo, era um negócio incrível. A gente foi jogar a Copa dos Campeões em Natal e eu não conseguia falar com os jogadores porque o assédio da torcida e o barulho que se fazia era muito grande. Cheguei a pedir para o Juca, o nosso assessor de imprensa, e a direção do São Paulo que limitassem esse assédio e a participação do Kaká em coisas externas. Não há como um garoto da idade que o Kaká tinha na época (20) e o Gabriel tem agora (18) se manterem equilibrados”, completou o treinador.

Gabriel Jesus acabou ganhando destaque no ano passado, mas iniciou 2016 de forma irregular. Na última partida, contra o River Plate-URU, iniciou a partida no banco de reservas e não tem presença assegurada no clássico contra o Santos, sábado, às 17h, no Allianz Parque.

Palmeiras em 2016
Divulgação
Palmeiras em 2016

Gabriel Jesus até abriu o placar, mas o Cruzeiro foi forte e virou com dois gols de Willian: 2 a 1

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX