1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Futebol Internacional

Pai de Neymar diz ter levado 10 milhões de euros por priorizar Barcelona

Agência Estado

28 Janeiro 2014 | 15h 37

Valor foi pago em acordo firmado com o clube catalão já em 2011, como prioridade de compra

SANTOS - O pai de Neymar fez um pronunciamento nesta terça-feira, em Santos, para explicar a polêmica negociação que levou o seu filho ao Barcelona, em um acordo milionário que gerou uma investigação da Justiça espanhola e acabou sendo determinante para a renúncia de Sandro Rosell à presidência do clube catalão. Pouco depois, visivelmente exaltado ao garantir que agiu de forma honesta durante a negociação, Neymar da Silva Santos confirmou, em entrevista para a ESPN Brasil, que recebeu 40 milhões de euros como uma "indenização" na transação que fez seu filho desembarcar no Camp Nou em 2013.

Também agente do atacante, o pai do craque explicou que os 40 milhões de euros foram pagos depois de um acordo firmado com o Barça já em 2011, segundo o qual a diretoria do time espanhol concordou em pagar este valor depois de ter recebido a garantia de que teria "prioridade de compra" do astro brasileiro no futuro.

O pai de Neymar explicou que o Barça pagou 10 milhões de euros de adiantamento como fruto de um acordo que previa a devolução de 40 milhões de euros ao time espanhol caso o jogador optasse por assinar contrato com outro clube.

"O Barcelona pagou 40 milhões de indenização e mais 17 milhões pelos direitos do jogador", disse, enfatizando que o pagamento de 40 milhões de euros como contrapartida estava acordado para o caso de Neymar fechar com o clube, o que de fato aconteceu.

O agente, porém, negou que este acordo tenha configurado o estabelecimento de um pré-contrato. "O Barcelona fez um empréstimo para mim de 10 milhões de euros. Não é aliciamento. Não é a pessoa do Neymar jogador, eu faço com uma empresa minha", explicou Neymar pai, se referindo à N&N Sports, empresa com sede em São Vicente, criada por ele para gerenciar a carreira e a imagem do atleta.

Na última sexta-feira, o novo presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, admitiu que a transação total para contratar o craque brasileiro custou 86,2 milhões de euros aos cofres do clube. Entretanto, o dirigente disse que o Barça não mentiu quando anunciou que o jogador foi contratado por 57,1 milhões de euros. Ele explicou que o restante do valor é referente a luvas, parcerias sociais entre o clube e a Fundação Neymar e ações de marketing.

Ao explicar o seu papel nesta polêmica transação, o pai de Neymar disse que "arriscou" ao ter segurado Neymar no Brasil por mais tempo, vestindo a camisa do Santos, lembrando que o clube manifestou vontade de vendê-lo em 2013 ao perceber que o atleta poderia sair sem custo em 2014, quando se encerraria o seu contrato.

"Fizemos um acordo e o mantivemos, para os dois lados eu arrisquei nesta situação. Com esses 10 milhões eu fiz um seguro para que pudesse pagar esses 40 milhões lá na frente (ao Barcelona) se ele tivesse uma contusão. Esses 40 milhões são uma indenização. Quando chegou a proposta em 2013, todo mundo falou que o Santos tinha a necessidade de vendê-lo", disse Neymar, alegando que outros clubes interessados no craque poderiam pagar esta multa de 40 milhões, mas enfatizando que o craque sempre exibiu sua preferência pelo time catalão. "O Neymar não queria sair para outro clube que não fosse o Barcelona", assegurou.

Futebol Internacional