Marcos Arcoverde/Estadão
Marcos Arcoverde/Estadão

Palmeiras bate Botafogo no Rio e se firma no bloco dos líderes

Deyverson marca o gol da vitória e equipe chega ao quinto jogo consecutivo sem perder no Campeonato Brasileiro

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2017 | 23h51

Pouco a pouco o Palmeiras deixa de ser um time coadjuvante no Campeonato Brasileiro para se firmar no bloco dos líderes. O time bateu nesta quarta-feira o Botafogo, no Rio, por 2 a 1 e acumulou feitos significativos. Agora são cinco jogos sem perder na competição, com três vitórias seguidas e, além disso, tanto ajustou o time para as oitavas de final da Copa Libertadores como superou a crise interna dos últimos dias.

O herói da partida foi o atacante Deyverson. Contratado há pouco tempo, virou titular do time, fez o gol da vitória no fim do jogo, aos 40 minutos do segundo tempo, e demonstrou disposição o tempo inteiro. Foram cinco finalizações e um gol do jeito que o Palmeiras buscava no centroavante: uma conclusão com a sola da chuteira para garantir a vitória.

A equipe fez no Rio o último teste antes de decidir a classificação na Copa Libertadores, semana que vem, contra o Barcelona do Equador. A tendência é uma formação reserva ser a escalada no domingo, contra o Atlético-PR. A partida com o Botafogo foi a primeira depois de a diretoria confirmar o polêmico afastamento do volante Felipe Melo. Durante o jogo, ele postou foto na rede social para mostrar que acompanhava o time pela televisão.

Pivô do desentendimento com o jogador, o técnico Cuca surpreendeu ao armar o Palmeiras no 4-2-3-1, com quatro atacantes de origem no setor ofensivo e sem meias de origem. O intuito de montar um time com jogadores rápidos demorou a surtir efeito, pois o Botafogo conseguiu se posicionar e conter a velocidade pretendida pelo adversário.

O jogo correu por quase 30 minutos sem grandes momentos de perigo, até a estratégia do Palmeiras se justificar. Keno roubou a bola de um botafoguense e rolou para Deyverson chutar. O goleiro Gatito defendeu no contrapé. Ficou no quase, mas o lance mostrou o quanto o novo centroavante estava atento e com vontade de participar.

O primeiro tempo estava quase no fim quando uma cobrança de falta de Egídio rendeu o gol alviverde. O zagueiro Igor Rabello tentou tirar e fez contra, ao tocar de canela na bola. O 1 a 0 no intervalo premiava ao time que mais finalizou na etapa inicial, 11 vezes, porém durou pouco. Logo no começo do segundo tempo Rodrigo Pimpão, em posição irregular, igualou.

O empate fez o Botafogo passar a dominar. A equipe carioca ficou mais perigosa e conseguiu prevalecer sobre um meio-campo sem armadores, como o escalado por Cuca. O treinador, então, tentou solucionar o problema ao colocar Raphael Veiga e Zé Roberto e reagir ante a evolução causada no time carioca pela entrada do chileno Leo Valencia.

O Palmeiras voltou a avançar, manteve a posse de bola no ataque e em nova jogada com Egídio e passe de Zé Roberto, fez o 2 a 1. Foi um gol no momento decisivo para dar mais três pontos e ajudar o Palmeiras a consolidar a reação em curso no Brasileiro.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 1 X 2 PALMEIRAS

BOTAFOGO: Gatito Fernández; Luis Ricardo, Carli, Igor Rabello e Victor Luis; Rodrigo Lindoso (Leonardo Valencia), Bruno Silva, Matheus Fernandes (Guilherme) e João Paulo; Rodrigo Pimpão e Roger. Técnico: Jair Ventura.

PALMEIRAS: Jailson; Mayke, Luan, Juninho e Egídio; Thiago Santos e Bruno Henrique (Zé Roberto); Keno (Raphael Veiga), Dudu e Róger Guedes (Borja); Deyverson. Técnico: Cuca.

GOLS: Igor Rabello (contra), aos 45 minutos do primeiro tempo. Pimpão, aos 10, e Deyverson, aos 40  minutos do segundo tempo.

Árbitro: Rafael Traci (PR)

Cartões amarelos: Igor Rabello, Egídio, Carli, João Paulo, Valencia, Jailson.

Público e renda: Não divulgados.

Local: Engenhão, no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.