Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Palmeiras bate Rosario com gol do alívio no fim e técnico respira

Futebol

Daniel Teixeira|Estadão

Esportes

Palmeiras

Palmeiras bate Rosario com gol do alívio no fim e técnico respira

Argentinos dão sufoco no Alviverde, que faz 2 a 0 e desencanta

0

Daniel Batista,
O Estado de S. Paulo

03 Março 2016 | 23h56

Era para ter sido uma vitória tranquila, mas o Palmeiras passou sufoco desnecessário contra o Rosario Central e, no fim, pelo menos, o sentimento para o técnico Marcelo Oliveira e os jogadores foi de se livrar de um peso nas costas. Após um bom primeiro tempo, quando fez 1 a 0 com Cristaldo, o time alviverde recuou, viu Fernando Prass salvar a noite ao defender um pênalti e fechou o placar com um gol de Allione, nos acréscimos. 

Marcelo Oliveira sabia que precisava criar um fato novo para mexer com o time ou dificilmente estaria empregado hoje. Assim, resolveu dar mais um voto de confiança para Cristaldo. Na defesa, outra surpresa. Com dores no joelho, Roger Carvalho foi vetado e coube ao jovem Thiago Martins, de 20 anos e que fez apenas três jogos com a camisa alviverde, a responsabilidade de tentar parar o ataque do Rosario. 

Com duas novidades na equipe, uma por necessidade e outra por opção, Marcelo Oliveira jogou suas cartas na mesa e esperou. Até que por volta dos 15 minutos resolveu “entrar em campo”. Levantou e foi protestar contra a não marcação de um pênalti. E não voltou mais para o seu lugar, pois começou a ver alguns problemas de posicionamento da defesa quando o time se aventurava ao ataque.

Até que seu elemento surpresa surtiu efeito. Aos 24, após Gabriel Jesus trombar com zagueiro, Cristaldo dominou a bola e todo desengonçado, conseguiu se livrar da marcação e mandou para as redes. Festa da ansiosa torcida e alívio temporario para o ansioso Marcelo.

Os jogadores fizeram sua parte e correram muito na primeira etapa, afinal de contas, um resultado ruim não seria prejudicial apenas para o treinador. O problema, porém, é que ainda tinha mais a outra metade do jogo para ser realizado. 

Na etapa final, só o Rosario jogou e Marcelo Oliveira se desesperou no banco. Aos 14, Robinho fez pênalti e o clima de tragédia tomou conta do Allianz Parque. Mas Fernando Prass fez uma defesa sensacional no chute de Ruben, dentre outras grandes defesas ao longo da partida, e evitou o pior. 

Marcelo mexeu e tentou fazer o Palmeiras “voltar para o segundo tempo”. Parecia que seria uma vitória sofrida, até que no último minuto, Allione, que chegou a negociar com o Rosario, mas ficou justamente porque as equipes iriam se enfrentar, bateu na saída do goleiro e garantiu a primeira vitória do time na Libertadores e em casa no ano. Resta saber se iniciam novos tempos no Palmeiras.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 2 x 0 ROSARIO CENTRAL

PALMEIRAS (4-3-3): Fernando Prass; Lucas, Thiago Martins, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos (Arouca), Jean e Robinho (Allione); Dudu, Gabriel Jesus e Cristaldo (Rafael Marques). Técnico: Marcelo Oliveira.

ROSARIO CENTRAL (4-4-2): Sosa; Salazar, Burgos (Herrera), Pinola e Álvarez; Musto, Colman, Da Campo (Lo Celso), Cervi e Aguirre; Ruben. Técnico: Eduardo Coudet.

Gols: Cristaldo, aos 24 do 1º Tempo; Allione, aos 48 do 2º Tempo.

Juiz: Enrique Caceres (PAR).

Cartões amarelos: Thiago Santos, Burgos, Robinho, Allione, Gabriel Jesus 

Público: 36.100 pagantes.

Renda: R$ 2.450.240,54.

Local: Allianz Parque, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.