Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Palmeiras domina Novorizontino, aplica 3 a 0 e é o primeiro semifinalista do Estadual

Adversário na próxima fase será o classificado com a pior campanha no Estadual

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

07 Abril 2017 | 22h58

A temporada de testes e de adversários mais frágeis acabou nesta sexta-feira para o Palmeiras, com grande atuação e vaga garantida na semifinal do Campeonato Paulista. O time dominou totalmente o Novorizontino, no Pacaembu, fez 3 a 0  e vai preparado para os próximos jogos deste mês, como a fase decisiva do Estadual e dois compromissos pela Copa Libertadores.

O Novorizontino foi a primeira da série das decisões de abril. Possivelmente, daqui em diante os adversários serão bem mais fortes. Afinal, na quarta-feira o Palmeiras tem pela frente outro time de preto e amarelo, o Peñarol, pela Copa Libertadores. Depois, nos dois fins de semana seguintes, vai encarar a semifinal do Estadual, com a chance de ter um clássico. O adversário será o classificado com a pior campanha.

A  mudança do jogo do Allianz Parque para o Pacaembu pouco afetou o Palmeiras. A torcida compareceu em peso e o time atuou como se estivesse na arena, com amplo domínio de posse de bola e grande repertório de jogadas. A equipe adversária foi controlada sem ameaçar. O placar agregado do confronto não deixa dúvidas: 6 a 1.

A lista de vantagens do Palmeiras era numerosa para o jogo no Pacaembu com o Novorizontino. A vitória por 3 a 1 no confronto de ida, no domingo, era a primeira, o mando de campo era outra e, por fim, a qualidade era o atributo mais decisivo.  Por isso, o time quase não precisou acelerar tanto o ritmo para se confirmar na semifinal. Foi praticamente um treino. O Novorizontino parecia assustado e jogou na defesa, apesar de precisar da vitória.

Diante da marcação adversária, o Palmeiras preferiu ser paciente e aos poucos explorar qual a melhor direção para avançar. A primeira chance clara de marcar veio aos 23 minutos, quando do lado direito o lateral Fabiano cruzou e Willian perdeu a chance de marcar em uma cabeçada de frente para o gol, da pequena área. Na oportunidade seguinte, a tentativa veio pelo meio e rendeu o gol. Willian se redimiu e tirou do goleiro para fazer 1 a 0, aos 32 minutos de partida. 

O domínio palmeirense aumentou no segundo tempo. As chances de gol vinham com mais naturalidade diante de um nocauteado Novorizontino. O técnico Eduardo Baptista até tirou o volante Felipe Melo, que está pendurado com dois cartões amarelos.

A equipe mostrou que os reservas têm qualidade para entrar  e definir as partidas. No segundo gol, Thiago Santos roubou a bola, Michel Bastos recebeu e serviu Guerra. O venezuelano apenas rolou para Borja chutar  de esquerda e ampliar, aos 23 minutos da etapa final. Dudu ainda fez o terceiro.

A goleada não se concretizou pela grande quantidade de gols perdidos. Mas isso pouco importa. O torcedor foi embora do Pacaembu satisfeito pela qualidade da atuação do Palmeiras e confiante  de que os desafios do mês de abril não vão assustar.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS: Fernando Prass; Fabiano, Mina, Edu Dracena e Zé Roberto; Felipe Melo (Thiago Santos); Willian (Michel Bastos), Tchê Tchê, Guerra e Dudu; Borja (Alecsandro). Técnico: Eduardo Baptista.

NOVORIZONTINO: Michael; Moacir, Domingues, Diego Sacoman e João Lucas; Doriva, Éder (Railan) e Fernando Gabriel; Roberto (Alexandro), Henrique Roberto e Everaldo (Rodrigo). Técnico: Silas Pereira.

Gol: Willian, aos 32 minutos do primeiro tempo. Borja, aos 23, e Dudu aos 43 minutos do segundo tempo.

Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza

Cartões amarelos: Éder.

Público: 24.548 pagantes

Renda: R$ 1.031.820

Local: Pacaembu, em São Paulo

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.