Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Palmeiras e Felipe Melo encaminham acordo para rescisão amigável

Clube e jogador tentam superar desavenças das últimas semanas e consideram que formalização da saída virá em breve

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

12 Agosto 2017 | 07h00

A relação entre Palmeiras e Felipe Melo se encaminha para um desfecho amigável, mesmo depois das turbulências vividas nos últimos dias. As desavenças do jogador com o técnico Cuca, seguida de uma notificação extrajudicial endereçada ao clube, dão espaço a conversas e um entendimento que nos próximos dias deve se concretizar e selar a rescisão contratual.

O clube e o jogador estão de acordo que a saída amistosa é a melhor solução para ambos após todo o incidente. Afastado do elenco há duas semanas, Felipe Melo acionou os advogados para exigir a reintegração ao plantel por entender que a obrigação de treinar separado fere os direitos trabalhistas e configura assédio moral. A notificação foi recebida pelo Palmeiras na quinta-feira.

Apesar disso, a diretoria do clube liberou o jogador de se apresentar ao trabalho nesta sexta. Felipe Melo ganhou folga para viajar e emendar cinco dias de descanso, para retornar somente na quarta. O restante do elenco voltará no mesmo dia, pois assim que voltarem do jogo com o Vasco, no domingo, pelo Campeonato Brasileiro, todos ganharão dois dias de folga.

Felipe Melo recebeu sondagens de vários clubes interessados na sua contratação. Porém, como não houve proposta oficial, o jogador e o clube não avançaram nas conversas sobre a rescisão. O vínculo do volante de 33 anos vai até o fim de 2019 e como ele fez menos de sete jogos pelo Palmeiras no Brasileiro, pode se transferir para outra equipe da Série A.

O Palmeiras considera a saída amigável como a melhor opção para evitar novos desgastes. Cuca revelou nesta sexta ter pensando em deixar o cargo depois do entrevero com o volante, porém se esquivou de comentar a notificação enviada por Felipe Melo ao clube. "Isso não cabe a eu falar. Não tenho nada contra o Felipe Melo. O que eu tinha para falar desse assunto já falei. Vida que segue. Isso é problema do jurídico e da direção", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.