JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Palmeiras inicia negociação com Cuca e terá ajuda da Crefisa com salários

Patrocinadora vai contribuir em conversas com o treinador, que terá como oferta um salário 50% maior

Ciro Campos, Glauco de Pierri, O Estado de S. Paulo

05 Maio 2017 | 15h19

Palmeiras e o técnico Cuca já iniciaram a aproximação para alinhar um acordo. Logo após a demissão do técnico Eduardo Baptista, nesta quinta-feira, a diretoria estabeleceu o treinador campeão brasileiro pelo clube no ano passado como prioridade e tem como plano oferecer condições melhores ao vínculo firmado em 2016, com a oferta de tempo de contrato mais longo e salário maior, com a ajuda da patrocinadora Crefisa.

O Estado apurou que as conversas com Cuca têm como pauta um salário de R$ 600 mil, valor 50% superior aos vencimentos do técnico entre março e dezembro do ano passado, quando recebia R$ 400 mil. Naquela época o treinador substituiu Marcelo Oliveira e assinou um contrato válido até o fim da temporada. O objetivo agora é ter um vínculo por dois anos.

O salário, caso seja acordado essa cifra, terá a ajuda da Crefisa, a patrocinadora master do clube. A empresa também bancou a contratação de reforços nesta temporada, inclusive o mais caro da história do Palmeiras. O atacante colombiano Miguel Borja veio por R$ 33 milhões e tem parte dos vencimentos mensais mantidos pela Crefisa.

Cuca mora em Curitiba, onde tem passado o período afastado do futebol junto com a família. O treinador tem uma proposta para voltar ao futebol chinês, mas está mais interessado em permanecer no Brasil, tanto para acompanhar o nascimento do neto, como pela oportunidade de retornar ao Palmeiras. Nesta sexta-feira o presidente do clube, Mauricio Galiotte, evitou falar sobre o possível substituto.

Mais conteúdo sobre:
Palmeiras Cuca Cuca (técnico) Crefisa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.