Palmeiras não se ilude com a vitória

A vitória do Palmeiras sobre o Guarani não escondeu os erros da equipe, na visão do goleiro Marcos. Ainda dentro de campo, voltou a reclamar do posicionamento da defesa, como já havia feito em partidas anteriores. "O time ficou muito quieto, especialmente no primeiro tempo. Talvez por isso tenhamos levado dois gols, por pura besteira nossa. A gente sabia que a partida seria difícil e tenho que admitir que não apresentamos um grande futebol. Mas, mesmo assim, o que vale é o resultado." As falhas do sistema defensivo não foram citadas apenas pelo goleiro. Claudecir, que deixou o campo no intervalo devido a uma tendinite, não escondeu seu descontentamento. "Com certeza, os erros aconteceram. Mas o meio campo também teve a sua parcela de culpa para que isso acontecesse. Quando os volantes marcam bem, a defesa fica menos sobrecarregada. Durante os 90 minutos não conseguimos colocar em prática tudo que treinamos durante a semana. Não sei o que aconteceu, quase fomos surpreendidos.? O treinador Vanderlei Luxemburgo colocou a culpa pelas dificuldades para a conquista da vitória no esquema tático do Guarani. "O Zé Mário montou o seu time de uma forma muito fechada, e esperou o melhor momento para o contra ataque. Mas tenho que admitir que faltou uma maior movimentação ao nosso time." Aliviado, o treinador enfatizou a importância do resultado, que garantiu o Palmeiras não apenas na semifinal do Rio-São Paulo como também no Supercampeonato Paulista e na Copa dos Campeões. "Sem dúvida a vitória foi muito importante, ainda mais porque foi conquistada contra um adversário difícil." O treinador também fez questão de criticar a postura do zagueiro Alexandre, que ao descer para o vestiário no intervalo, disse que estava faltando seriedade ao time. "O Alexandre é infeliz em muitas de suas declarações. É um jogador jovem e impetuoso. Não faltou seriedade em nenhum momento, pelo contrário. O que tenha faltado é um melhor encaixe dos jogadores dentro de campo". Na visão de Luxemburgo, o resultado também serviu para tirar o peso da eliminação da Copa do Brasil pelo ASA, de Arapiraca. "Conseguimos aliviar essa situação, que ainda reinava dentro do grupo." A boa atuação de Magrão também foi elogiada pelo treinador. "O Magrão está jogando bola como um volante deve fazer. Está leve, solto, e mais importante, não tem levado cartões." Autor de um belo gol no primeiro tempo, Alex destacava que os objetivos traçados foram alcançados. "Estamos realmente com mais confiança. O time está mais tranquilo". A esperança de estar na relação dos 23 jogadores que irão à Copa do Mundo também foi abordada pelo meia. "Dez por cento dos jogadores ainda não foram definidos, mas eu procuro não criar expectativa. Vou continuar trabalhando até a lista final, mas estou preparado para não ir." O empréstimo de Alex ao Palmeiras vence em maio e o jogador fez questão de dizer que pode permanecer no Parque Antartica no segundo semestre. "Vou voltar para o Parma, com quem tenho contrato por mais três anos. Só então haverá definição sobre o meu futuro. Posso ficar aqui, mas não está descartada a chance de atuar por um outro clube europeu.? Os jogadores do Guarani demonstraram conformismo pelo resultado. "É complicado enfrentar um time que tem um ataque tão rápido como o do Palmeiras. Mas fizemos uma partida de qualidade, quase viramos o resultado no segundo tempo", definiu o zagueiro Edu Dracena.

Agencia Estado,

30 Março 2002 | 18h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.