Marcos Bezerra/Futura Press
Marcos Bezerra/Futura Press

Palmeiras perde para o Red Bull e é o pior entre os grandes no Paulista

Time de Oswaldo de Oliveira não consegue confirmar a boa fase

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

29 Março 2015 | 20h31

O técnico Oswaldo de Oliveira levou todos os titulares do Palmeiras a Campinas para tentar confirmar a boa fase depois da vitória contundente sobre o São Paulo e somar mais três pontos de olho na vantagem do mando de campo na próxima fase. Não conseguiu nem uma coisa nem outra. Com muitos erros defensivos, dispersão tática e falta de concentração na etapa inicial - o oposto da postura no clássico de quarta-feira - a equipe perdeu para o Red Bull Brasil por 2 a 0, no Estádio Moisés Lucarelli. Com a derrota, o Palmeiras caiu para o último entre os grandes na tabela geral.

O dono da casa teve seus méritos. Com bom toque de bola e uma defesa sólida, explorou os erros do Palmeiras e agora acumula três vitórias seguidas, cinco jogos sem levar gol e, por isso, é o segundo do Grupo 1, o do São Paulo. Lulinha, o nome do jogo, fez um gol e deu uma assistência.

O Palmeiras pressionou, teve mais posse de bola, mas tinha problemas na recomposição defensiva, ou seja, atacava com muita gente, mas nem todos voltavam para marcar. Com isso, o sofria bastante com os contra-ataques do Red Bull Brasil, time bem posicionado taticamente e dono de um toque de bola refinado. Veloz, simples e eficiente, o time de Campinas esperava os vacilos do Palmeiras - numerosos na etapa inicial - e fazia um jogo de igual para igual.

Foi assim que o time da casa fez dois gols em 13 minutos. Depois do toque errado de calcanhar de Dudu, que deveria ter feito uma jogada mais simples, o Red Bull abriu o placar em uma contragolpe exemplar concluído por Lulinha.

No segundo tento, após uma saída de bola errada, o veterano Fabiano Eller marcou o segundo sozinho na área - os zagueiros palmeirenses insistiam em olhar só a bola e não o deslocamento dos avantes.

Surpreendido com a organização tática do rival, o Palmeiras tentou o empate pelos lados, chamando Dudu e Rafael para o Marques para o jogo. As três alterações do treinador fizeram efeito, o time ficou mais ativo, mas a saída foi cruzar a bola na área.

Apenas em dois lances o Palmeiras se aproximou um pouco de diminuir o placar: uma finalização em cima da zaga de Gabriel Jesus - que substituiu o estático Cristaldo - e um chute torto de Alan Patrick.

RED BULL 2 x 0 PALMEIRAS

Gols: Lulinha, aos 19 e Fabiano Eller, aos 32, minutos do primeiro tempo.

RED BULL BRASIL (4-4-2): Juninho; Jonas, Anderson Marques, Fabiano Eller e Samuel; Willian Magrão, Carlinhos (Raul), Lulinha (Gustavo Scarpa) e Ewerton Silva (Romário); Edmílson e Marcelo. Técnico: Maurício Barbieri.

PALMEIRAS (4-5-1): Fernando Prass; Lucas, Tobio, Vitor Hugo e Zé Roberto (Victor Luís); Gabriel, Arouca, Rafael Marques, Robinho (Alan Patrick) e Dudu; Cristaldo (Gabriel Jesus). Técnico: Oswaldo de Oliveira. 

Juiz: Leonardo Ferreira Lima

Cartões amarelos: Samuel, Carlinhos, Tobio, Gustavo Scarpa, 

Público: 7.355 pagantes.

Renda: R$ 198.540,00

Local: Moisés Lucarelli, em Campinas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.