Alex Silva|Estadão
Alex Silva|Estadão

Palmeiras recupera tradições de 2016 para resgatar bom futebol

Para solucionar problemas na temporada, clube retorna a apostar em Cuca, bolas paradas e refúgio em Atibaia

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

17 Julho 2017 | 07h00

Cuca no comando, jogadas ensaiadas em bolas paradas e refúgio em Atibaia. O Palmeiras tem resgatado características da campanha do título brasileiro de 2016 para aplicar neste ano e retomar um caminho mais tranquilo para corresponder às expectativas por título. Das medidas planejadas, a temporada de treinamento no interior será o próximo recurso do clube em 2017.

A comissão técnica já definiu a programação para a semana prévia ao confronto com o Barcelona, do Equador, pela Copa Libertadores, em 9 de agosto. O hotel fazenda em Atibaia será o quartel general palmeirense durante uma semana. Nesse período, Cuca quer trabalhar com os titulares para reverter a desvantagem de 1 a 0 e ir para as quartas de final, enquanto os reservas serão acionados para compromissos do Campeonato Brasileiro.

A escolha por Atibaia deu certo em outros momentos. No ano passado, Cuca levou o time para lá antes do início do Campeonato Brasileiro e repetiu a estratégia nos jogos finais da competição. Já em 2015, o então técnico Marcelo Oliveira fez o mesmo, às vésperas da final da Copa do Brasil, vencida pelo Palmeiras. "Essa programação de tirar uns sete dias para treinar o time vai nos deixar com a formação pronta. É natural estarmos mais preparados", disse Cuca neste domingo.

A própria presença do treinador foi uma medida da diretoria para resgatar o espírito de 2016. Após sair do cargo por problemas pessoais, Cuca retornou em maio para continuar o trabalho com o elenco. A volta dele, inclusive, foi anunciada com um dos símbolos da conquista nacional, a calça cor de vinho. As redes sociais do Palmeiras anunciaram a contratação do treinador com um emoji da peça, que agora é usada por vários torcedores.

A segunda passagem do técnico Cuca se inspirou na retomada de características do time do ano passado. Róger Guedes, por exemplo, voltou a ser titular e a equipe resgastou o estilo veloz de jogo e o cuidado com as bolas paradas. Quando se inicia uma partida, o Palmeiras costuma tentar um lançamento à área adversária. Na hora das faltas, o time tenta marcar gols em jogadas ensaiadas, como fez alguns em 2016.

"Aos poucos vamos melhorar o nível das atuações. Precisamos de tempo para treinar as jogadas, de dar o devido descanso ao time", disse Cuca. Outro componente importante do ano passado que voltará a ser acionado em breve é o meia Moisés. Recuperado de cirurgia, o destaque do time na conquista do Brasileiro está em fase final de recuperação e deve retornar a atuar em agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.