1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Palmeiras se rende a mais um pequeno no Campeonato Paulista

Daniel Batista - O Estado de S. Paulo

30 Março 2014 | 20h 37

Alviverde perde peças importantes, sofre derrota para o Ituano e fica fora da decisão

SÃO PAULO - Sabe aquela noite em que tudo dá errado? Foi assim para o Palmeiras neste domingo. Do início ao fim da partida, nada saiu como esperado. O time alviverde teve de jogar boa parte do tempo sem seus três melhores atletas (Alan Kardec, Fernando Prass e Valdivia) e não conseguiu encaixar uma grande jogada. O Ituano tirou proveito e com um belo gol de fora da área, garantiu a vitória por 1 a 0 e a classificação para a final do Paulistão.

O Palmeiras começou a partida com uma notícia ruim. Valdivia chegou a ser escalado entre os titulares, mas, após teste no vestiário, viu que não tinha condições de jogar em decorrência de um inchaço no tornozelo direito – e começou no banco de reservas. Ele só seria chamado no desespero, como aconteceu.

A esperança dos 31.191 mil torcedores que estiveram no Pacaembu era ver um time sem magia, mas com muita raça e disposição. O Ituano está longe de ser um time bobo ou que tenta resolver tudo na pancada. A equipe de Itu é bem organizada taticamente pelo técnico Doriva e fez com que o primeiro tempo fosse bem complicado para o Palmeiras.

Sem Valdivia, Kleina montou um losango no meio de campo, com Marcelo Oliveira na marcação, Wesley caindo pela esquerda, Bruno César na direita e Mendieta centralizado. A formação beneficiou o paraguaio, que criou boas jogadas.

A melhor chance do Alviverde aconteceu aos 23, quando Mendieta passou na medida para Leandro, que saiu na cara do gol, mas Vagner mostrou coragem e saltou sobre a bola.

Aos 39, a pior notícia que o palmeirense poderia ouvir. Alan Kardec levou uma joelhada de Alemão na coxa direita e, chorando, teve de ser substituído por Vinícius. No intervalo, o atacante saiu carregado pelos companheiros.

Parecia que não tinha mais como piorar as coisas. Até que, na volta para o intervalo, Fernando Prass, com dores no tornozelo, saiu para a entrada de Bruno. E o Palmeiras tinha todo o segundo tempo para jogar sem os seus três melhores jogadores.

Como lógica não combina com futebol, apesar de tantos problemas, a equipe voltou melhor e pressionou o Ituano. Marcelo Oliveira teve uma boa chance de abrir o placar, de cabeça e Vagner fez grande defesa.

DESESPERO

Apesar da pressão, o time não conseguia chegar com qualidade na finalização. Aos 23, a torcida perdeu a paciência e pediu Valdivia. Kleina resolveu ceder e, mesmo com o chileno mancando, o colocou em campo. Era a última cartada do treinador e um ato de desespero. A equipe teve uma leve melhora. O problema era o último passe, que sempre parava nos pés de alguém do adversário.

O Ituano só conseguiu chegar para valer no ataque aos 38. E foi fatal. Dick chutou de fora da área, a bola desviou na zaga e sobrou para Marcelinho bater de chapa e mandar para as redes, na noite em que deu tudo errado para o Palmeiras.

PALMEIRAS 0 X 1 ITUANO

PALMEIRAS - Fernando Prass (Bruno); Tiago Alves, Lúcio, Wellington e Juninho; Marcelo Oliveira, Wesley, Mendieta e Bruno César; Leandro e Alan Kardec (Vinicius). Técnico - Gilson Kleina.

ITUANO - Vagner; Dick, Alemão, Anderson Salles e Dener; Josa, Jackson Caucaia e Cristian (Claudio); Rafael Silva, Jean Carlos (Marcelinho) e Esquerdinha. Técnico - Doriva.

GOL - Marcelinho, aos 38 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Antonio Rogério Batista do Prado.

CARTÕES AMARELOS - Mendieta, Vinicius, Tiago Alves, Wellington, Valdivia, Dener e Rafael Silva.

RENDA - R$ 1.363.977,50.

PÚBLICO - 29.166 pagantes.

LOCAL - Estádio do Pacaembu, em São Paulo.