Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Palmeiras tenta conter euforia e evita falar sobre o título após nova vitória

Alviverde encurta distância para o Corinthians provisoriamente com triunfo sobre o Grêmio

Dani Arruda, especial para O Estado de S. Paulo

22 Outubro 2017 | 22h02

A vitória do Palmeiras sobre o Grêmio por 3 a 1, em Porto Alegre, neste domingo, levou o time para a segunda posição no Campeonato Brasileiro e reduziu para seis pontos (59 a 53) a desvantagem para o líder Corinthians. Agora, para continuar sonhando com o título, o time promete "secar" o rival e torcer por um tropeço corintiano nesta segunda-feira, contra o Botafogo, no Engenhão.

+ Antero Greco - De novo, a valentia do Palmeiras

Corinthians e Palmeiras ainda se enfrentam em confronto direto na 32ª rodada. O jogo será no Itaquerão. Antes, porém, na 31ª rodada, o Palmeiras recebe o Cruzeiro no Allianz Parque, enquanto o rival encara a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli. O time de Campinas luta contra o rebaixamento.

Apesar da possibilidade real de buscar o título em caso de tropeços do Corinthians nas próximas rodadas, os jogadores do Palmeiras tentam conter a ansiedade e pensar o campeonato a curto prazo

"A equipe fez um bom jogo, conseguiu um excelente resultado. Agora é esperar o fim da rodada. Nosso pensamento é o G-4, vamos esperar o fim da rodada para ver quantos pontos ficamos atrás do líder", disse o atacante Dudu, autor de dois gols contra o Grêmio.

Para Moisés, autor do segundo gol palmeirense em Porto Alegre, o jogo entre Corinthians e Botafogo será crucial para saber se o Palmeiras segue na luta pelo título.

"O torcedor do Palmeiras pode ficar muito feliz, o das outras equipes eu não sei como vai ficar, mas para a gente é importante estar vencendo. O Corinthians ainda tem um jogo a mais, a gente não sabe o que vai acontecer, o importante foi que a gente fez a nossa parte, como temos feito. Dependendo do resultado de amanhã, a gente entra de vez nessa briga", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.