Andres Stapff/Reuters
Andres Stapff/Reuters

Palmeiras terá de atuar três partidas como visitante sem torcida na Libertadores

Conmebol pune o clube por envolvimento em briga ao fim de partida contra o Peñarol, em Montevidéu

O Estado de S. Paulo

17 Maio 2017 | 20h10

O Palmeiras terá de jogar como visitante três partidas da Copa Libertadores sem a presença da sua torcida. Essa limitação é a punição comunicada nesta quarta-feira pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) ao clube pelo envolvimento na briga com jogadores do Peñarol ao fim da partida entre as equipes no último mês, em Montevidéu, pela fase de grupos da competição. Segundo a entidade, torcedores do time brasileiro entraram em confronto com os uruguaios.

O clube alviverde temia ser punido com a proibição de receber público em partidas como mandante, no Allianz Parque. O receio levou a diretoria a adiar a abertura da venda de ingressos para o jogo com o Tucumán, da Argentina, na próxima semana. Porém, dianta da punição aplicada pela Conmebol, a restrição de palmeirenses será válida apenas para partidas em que o time do técnico Cuca atuar como visitante.

Além dessa restrição, o Palmeiras terá de pagar uma multa de cerca de R$ 250 mil. Caso consiga avançar à próxima fase da Libertadores, o atual campeão brasileiro jogaria sem a sua torcida nos confrontos fora de casa no mata-mata tanto nas oitavas, como em uma possível quartas e semifinal, se estiver classificado para essas etapas. 

A Conmebol também puniu na última semana o volante Felipe Melo por envolvimento na briga. O jogador do Palmeiras terá de ficar seis partidas longe do time por ter dado um soco no uruguaio Mier. O clube tenta amenizar a punição, mas se não conseguir, só terá o retorno dele ao time em uma provável partida de volta da semifinal da competição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.