EFE / Osservatore Romano
EFE / Osservatore Romano

Papa Francisco pede que finalistas da Copa da Itália sejam 'modelos de lealdade'

Atletas de Juventus e Lazio se encontraram com o Pontífice antes do jogo, que ocorre nesta quarta (17)

Estadão Conteúdo

16 Maio 2017 | 12h14

Juventus e Lazio fazem nesta quarta-feira, no estádio Olímpico, em Roma, a grande final da Copa da Itália. Um dia antes do jogo, jogadores, comissões técnicas e dirigentes dos dois clubes compareceram a uma audiência no Vaticano com uma pessoa que é fanática por futebol: o papa Francisco.

Torcedor declarado do San Lorenzo, da Argentina, o papa Francisco pediu que os jogadores sejam um exemplo, "um modelo de lealdade", para os torcedores. "Considerando a fascinação e o reflexo que o futebol profissional tem sobre as pessoas, especialmente entre os jovens, vocês têm uma notável responsabilidade", disse o pontífice.

O papa disse aos jogadores que "aqueles que são considerados campeões se tornam facilmente figuras de referência, por isso cada competição é uma prova de equilíbrio, de domínio de si mesmo e de respeito às regras. Quem, com seu próprio comportamento, sabe dar conta disso, se transforma em um exemplo para seus admiradores", acrescentou.

Francisco lembrou os episódios de violência que às vezes ocorrem nos estádios e que "perturbam o tranquilo desenvolvimento das partidas e a diversão das pessoas". "Espero que possam, no que estiver ao alcance de vocês, ajudar a atividade esportiva a focar nisso, graças ao compromisso pessoal de todos, ao ser motivo de coesão entre os atletas e a sociedade", recomendou o papa, ao desejar um "bom jogo" para os elencos.

A Copa da Itália pode ser o primeiro dos três títulos que a Juventus almeja nesta temporada. No domingo, o hexa no Campeonato Italiano pode ser assegurado com uma vitória em casa sobre o Crotone, que luta contra o rebaixamento. E no próximo dia 3 fará a decisão da Liga dos Campeões da Europa contra o Real Madrid, em Cardiff, no País de Gales.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.