Paulo Pinto/Estadão
Paulo Pinto/Estadão

Para Fifa, só Mundiais de Clubes a partir de 2000 são títulos 'oficiais'

Entidade não reconhece como 'oficial' conquista do Palmeiras de 1951 nem intercontinentais disputados entre 60 e 90

Jamil Chade, correspondente em Genebra, O Estado de S.Paulo

27 Janeiro 2017 | 13h34

A nova Fifa do presidente Gianni Infantino não reconhece como "oficial" o título do Palmeiras de campeão mundial de clubes, de 1951, nem qualquer outro disputado durante os anos 1960 e 1990. Para a organização, com sede em Zurique, apenas os vencedores dos torneios a partir de 2000 são "considerados oficialmente pela Fifa como campeões mundiais de clubes".

Num comunicado enviado ao Estado, a entidade máxima do futebol afirma que reconhece o torneio vencido pelo clube paulista nos anos 50 como o primeiro campeonato de clubes de dimensão mundial. Mas esclarece que são apenas aqueles que venceram o torneio a partir de 2000 (Corinthians) que são considerados pela entidade como oficialmente "campeões mundiais de clubes".

Diplomática, a Fifa não deixa de dar certo valor aos torneios que existiam antes de 2000. Mas nunca os tratando como competições ou títulos oficiais. "Em seu encontro em São Paulo no dia 7 de junho de 2014, o Comitê Executivo da Fifa concordou com o pedido apresentado pela CBF para reconhecer o torneio de 1951 entre os clubes da Europa e da América do Sul como a primeira competição de clubes de dimensão mundial, e o Palmeiras como seu vencedor", disse.

"A Fifa reconhece e valoriza as iniciativas de estabelecer competições de clubes de dimensões mundiais ao longo da história", disse a entidade. "Esse foi o caso de torneios envolvendo clubes europeus e sul-americanos, como a pioneira Copa Rio, jogada em 1951 e 1952, e a Copa Intercontinental", afirmou.

Apesar dos elogios, a entidade esclarece que não pode conceder sua chancela de "oficial" a essas iniciativas. "Entretanto, não foi até 2000 que a Fifa organizou o estreante Mundial de Clubes da Fifa, com representantes de todas as seis confederações", explicou. "Os vencedores dessa competição, que passou a ser organizada anualmente a partir de 2005, são aqueles considerados oficialmente pela Fifa como campeões mundiais de clubes".

Em 2015, o Estado havia feito a mesma consulta para a Fifa, de Joseph Blatter. Naquele momento, porém, a resposta fora diferente. A entidade se limitou a esclarecer que reconhecia o torneio de 1951 como a primeira competição de dimensão mundial, sem qualificar se havia uma diferença entre os vencedores do pasado e os atuais.

Em 2014, em conversa com a reportagem, o ex-presidente da Fifa, Joseph Blatter, chegou a informar que enviaria um certificado a cada um dos campeões mundiais desses demais torneios, reconhecendo seus feitos. O Palmeiras recebeu um fax sobre o assunto e sendo informado de que o time merecia tal condecoração. A partir daí, o torcedor do Palmeiras não teve mais dúvidas sobre a legotimidade do torneio. Situação modificada agora pelo novo dirigente da Fifa.

Desta maneira, o Corinthians é o brasileiro com o maior número de títulos mundiais, já que foi campeão na primeira edição da Fifa, em 2000, e faturou também em 2012. São Paulo e Internacional, campeões em 2005 e 2006, respectivamente, completam a lista de conquistas para o Brasil. A posição da Fifa exclui, por exemplo, Pelé da lista de campeões mundiais. O Rei do Futebol levou o Santos aos títulos em 1962 e 1963. Zico, com o Flamengo de 1981, é outro craque que não teria mais o título validado pela Fifa. Grêmio (1983) e São Paulo (1992 e 1993) são outras equipes que levaram o título mundial antes de 2000.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.