Para Luxemburgo, São Paulo é exemplo

Vanderlei Luxemburgo quer ganhar o jogo de quarta-feira jogando bola, sem apelar para a violência. Nem marcação mais dura ele aceita fazer. ?Vieram me dizer agora que o São Paulo é um time que sofre poucas faltas e que esse é um dos motivos para fazer tantos gols. E perguntaram se eu mandaria meu time fazer mais faltas. Nada disso, eu quero é ganhar no campo! E jogando bonito.? O treinador explica que o São Paulo serve de parâmetro para o que deseja implantar no Palmeiras. ?O São Paulo é o time que está jogando melhor futebol no Brasil. E eu quero que o Palmeiras chegue a esse ponto.? A luta de Luxemburgo é dura. Ele tenta mudar um estilo de jogo que foi implantado pelos últimos três técnicos, de estilo diferente do seu. Luiz Felipe Scolari, Marco Aurélio e Celso Roth privilegiavam um sistema defensivo forte, diferente dos times que Luxemburgo montou no Parque Antártica em 93 e 94. ?Desde que cheguei estou trabalhando para mudar esse estilo e impor o meu. Quero time que toque a bola, que tenha saída de bola desde a defesa. Vou conseguir que o Palmeiras jogue assim novamente.? Luxemburgo procura no elenco volantes com bom trato de bola, como foram Mazinho e César Sampaio. ?O Paulo Assunção tem um estilo parecido com o do César Sampaio e o Claudecir joga muito bonito, está presente em todos os setores do campo, participa de tudo, tem um estilo parecido com o do Verón.? Nesta segunda-feira, o técnico se recusou a falar de tática. Não quer dar vantagem a Nelsinho, mas a tendência é entrar em campo com três volantes, liberando Alex para a chegada ao ataque. ?Esquema com três volantes não significa time recuado, e vocês, que me conhecem, sabem o que eu vou fazer para esse jogo.?

Agencia Estado,

18 Março 2002 | 20h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.