1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Copa 2014

Para o ministro do Turismo, o brasileiro precisa abraçar a Copa do Mundo

O Estado de S. Paulo

04 Março 2014 | 05h 10

Gastão Vieira prevê problemas de acesso não para os jogos, mas, sobretudo, para as Fan Fests

SÃO PAULO - O ministro do Turismo, Gastão Vieira, considera que o brasileiro "precisa parar de ver só defeito na preparação da Copa". Mas admite que muitas obras de mobilidade não ficarão prontas a tempo em várias cidades e que, por isso, os torcedores, brasileiros e estrangeiros, podem ter problemas de acesso aos locais de eventos, principalmente as Fan Fests.

ESTADO - Como está a preparação do governo na área do Turismo?

Gastão Vieira - Só não diria que estamos prontos porque nossas obras de acessibilidade para pessoas portadoras de deficiência, a sinalização turística e a compra de CATs móveis, que são as três funções que o ministério têm na área de infraestrutura, estão ainda atrasadas.

ESTADO - Há risco de não ficar pronto?

Gastão Vieira - Como são obras de engenharia simples, colocar placa, fazer calçada, trabalhamos com a quase certeza de que as cidades vão cumprir os prazos estabelecidos, que é até maio.

ESTADO - Na área de infraestrutura, muitas das obras de mobilidade não serão entregues ou ficarão para depois do evento. Qual será o impacto disso para o turista?

Gastão Vieira - Nós vamos ter uma Copa com 70% de brasileiros, da própria cidade, do Estado, de outros Estados num raio de 200 quilômetros do jogo. Portanto, haverá, sim, impacto. Haverá dificuldade de acesso, principalmente para aqueles que vêm participar da Copa, não tanto nos jogos, mas nas Fan Fests. Você vem pro clima da cidade. Vai ao Rio, não vai ao Maracanã, vai a Copacabana. Aí é que os problemas vão aparecer. O turista estrangeiro, em torno de 300 mil especificamente para os jogos, mais outros 300 mil sem ingresso, dificilmente vai desembarcar sem hotel, sem transporte. Ele comprou um pacote, inteiro ou pela metade. Esse já vem programado e não deve ter problema de locomoção, de chegar ao estádio. Vai ter van que vai levar, hotel vai promover, etc. Esse turista poderá enfrentar dificuldade de deslocamento nos passeios pela cidade.

ESTADO - No raciocínio do senhor, então os turistas brasileiros seriam os mais afetados por eventuais problemas de mobilidade?

Gastão Vieira - Eles já estão acostumados com os problemas do nosso país, mas merecem, claro, um conforto. Mas precisamos agora é fazer uma campanha para o brasileiro abraçar a Copa, parar de ver só defeito.

Copa 2014