1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Pará prevê dificuldades para o Grêmio contra o Goiás

AE - Agência Estado

11 Julho 2014 | 19h 21

O Grêmio se prepara para na próxima quarta-feira, na Arena Grêmio, em Porto Alegre, enfrentar o Goiás na retomada do Campeonato Brasileiro depois da pausa para a realização da Copa do Mundo. Os dois clubes estão com a mesma pontuação (15), mas o gaúcho leva vantagem por ter mais saldo de gols e, assim, ocupa a sexta posição, uma a mais que os goianos. O líder é o Cruzeiro, com 19 pontos.

O lateral-direito Pará acredita que os números servem para mostrar o grande desafio que o Grêmio terá na retomada da principal competição nacional. "Desde o ano passado, o Goiás vem fazendo uma campanha muito boa. Nosso técnico (Enderson Moreira) já trabalhou lá por um bom tempo, sabe do que o grupo deles é capaz. Eles conseguiram manter a regularidade neste ano, com muita sustentação na força defensiva", disse.

Pará destacou a força defensiva do Grêmio neste início de Brasileirão, que teve nove rodadas até a parada para a Copa do Mundo. "Nosso time também vem muito bem atrás, fechando os espaços, não dando muitas chances aos adversários. Por isso temos a defesa menos vazada (sofreu apenas cinco gols, assim como Corinthians e Santos). Tivemos um bom tempo para trabalhar nessa parada para a Copa e agora é colocar em prática", afirmou o lateral-esquerdo.

O jogo nesta quarta marca a volta do Grêmio à sua arena, que estava "emprestada à Fifa" para o período do Mundial. O último jogo foi no dia 18 de maio, quando o time ganhou do Fluminense por 1 a 0. Pará acredita que esse será um diferencial gremista para encarar o Goiás.

"Diante de tanto equilíbrio que acho que vamos encontrar contra o Goiás, teremos um grande diferencial a nosso favor: o apoio da torcida. Assim como estamos com saudades dela, tenho certeza que os gremistas também estão com saudades de ir ao estádio, de apoiar o time. Temos um encontro marcado na Arena e contamos com a força que vem do lado de fora do campo. Precisamos desse apoio e faremos de tudo para retribuir", disse.