Paraná elimina Guarani em Campinas

O Paraná eliminou o Guarani da Copa do Brasil, ao garantir o empate por 1 a 1, nesta quinta-feira à noite, no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas. O time paranaense, na terceira fase, vai enfrentar o Botafogo Carioca. Como tinha perdido o primeiro jogo, em Curitiba, por 2 a 0, o Guarani precisa ganhar por uma diferença de três gols para chegar à classificação. No outro jogo da Copa do Brasil, o CSA derrotou o Ceará, em Fortaleza, por 3 a 2, e obteve a classificação para a próxima fase. Seu adversário será o Vasco. O primeiro tempo teve alguns fatos interessantes. Aos cinco minutos, dois jogadores do Paraná, Frédson e André, trocaram tapas e mereciam ser expulsos. O Guarani aproveitou o nervosismo do adversário para tentar uma pressão na saída de bola. E teve a chance de abrir o placar aos 17 minutos, quando o goleiro Neneca defendeu uma penalidade máxima cobrada pelo zagueiro Sangaletti. A falta foi cometida por Ageu sobre Rafael Silva. Dez minutos mais tarde, outro lance curioso. O meia Souza, do Guarani, foi expulso ao trocar empurrões com Marquinhos, do Paraná, que deu uma cusparada no rosto do bugrino. Souza já tinha cartão amarelo. O jogo só ficou igual numericamente com a expulsão do lateral-esquerdo Fabinho, que tentou dar um tapa em Sangaletti. No segundo tempo, o Guarani demorou para imprimir um ritmo forte. Só fez seu gol aos 15 minutos, quando Rafael Silva aproveitou de cabeça a cobrança de escanteio de Luciano Baiano. O Guarani ainda tentou marcar mais gols, mas não conseguiu superar o bloqueio defensivo armado pelo Paraná. No fim do jogo, aos 33 minutos, num rápido contra-ataque Adriano Chuva empatou o jogo. Não dava mais para o Guarani buscar a classificação, pois precisaria fazer 4 a 1.

Agencia Estado,

14 Março 2002 | 22h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.