Paraná promete "agredir" o Guarani

O Paraná Clube quer acabar com a fama de time caseiro na partida de amanhã, contra o Guarani, pela Copa do Brasil, no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas. Este ano, o time venceu apenas uma partida fora de seu estádio e vem de uma derrota por 2 a 1 para o Pelotas, no Rio Grande do Sul. "Pode ser uma falta de sorte, porque a equipe vem vindo bem", diz o volante Frédson, que não jogou a primeira partida em Curitiba, em que o Paraná venceu o Guarani por 2 a 0. Em razão de os gols na casa do adversário terem mais força nos jogos da Copa do Brasil, o técnico Paulo Bonamigo não quer que o time se limite à marcação dos jogadores do Guarani. "Se agredir o adversário há possibilidade de fazer gol e se tornaria muito difícil para o Guarani reverter", disse. "Temos que pensar em jogar futebol e agredir o adversário de forma equilibrada e bem compacta." O resultado negativo contra o Pelotas "acordou" o time, pelo menos nas entrevistas. "Já pecamos pela Sul-Minas e agora não podemos nos dar ao luxo de perder", alertou o zagueiro Ageu. "Se nosso time não jogar ligado no Brinco de Ouro, nossa vaga pode ir por água abaixo", acentuou Bonamigo. Além de Frédson, ele terá também o retorno do volante Hélcio.

Agencia Estado,

13 Março 2002 | 17h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.