Roman Lafabregue/AFP
Roman Lafabregue/AFP

Paris Saint-Germain sofre contra o Dijon, mas vence com gol nos acréscimos

lateral-direito belga Thomas Meunier fez o gol da vitória aos 46 do segundo tempo

Estadão Conteúdo

14 Outubro 2017 | 14h54

Com Neymar em campo, mas sem Cavani, o Paris Saint-Germain teve dificuldades neste sábado contra o Dijon, fora de casa, pela nona rodada do Campeonato Francês. Ainda assim, com dois gols do lateral-direito belga Thomas Meunier, o último deles já aos 46 minutos do segundo tempo, a equipe venceu por 2 a 1. Destaque também para o belo gol do time mandante, marcado pelo atacante Benjamin Jeannot em chute de primeira - e de muito longe.

+Gabriel Jesus faz 2 na goleada do City

O sofrido resultado fez o Paris Saint-Germain disparar na liderança da competição. Está com 25 pontos, seis na frente do atual campeão Monaco, que perdeu na sexta para o Lyon, por 3 a 2. Já o Dijon soma apenas seis e está em 17º.

Com algumas de suas principais estrelas desgastadas devido aos jogos das seleções nas Eliminatórias da Copa do Mundo, o PSG teve inúmeras mudanças neste sábado. O zagueiro Thiago Silva, por exemplo, ainda se recupera de contusão e não foi a campo, assim como o atacante uruguaio Cavani, poupado. Já Daniel Alves atuou no meio - e Meunier ganhou chance na lateral.

 

A equipe, ainda assim, entrou em campo com um forte trio de ataque formado por Neymar, Mbappé e Di María. Mas, apesar da fragilidade do adversário, o PSG teve uma atuação discreta e sofreu para ganhar.

 

Com Neymar apagado e o time sentindo a falta de Cavani no comando do ataque, o PSG só foi chegar com real perigo no primeiro tempo aos 44 minutos, quando Daniel Alves cobrou falta no travessão.

 

Melhor na etapa final, por sua vez, a equipe criou inúmeras oportunidades até Neymar finalizar colocado e rasteiro aos 25 minutos. O goleiro Reynet espalmou para o lado e Meunier aproveitou o rebote para abrir o placar.

 

Parecia, então, que o duelo estava definido. Mas, já aos 41, Benjamin Jeannot empatou com um gol antológico: depois do zagueiro Kimpembe afastar a bola, o atacante pegou de primeira e, de muito longe, com perfeição, acertou o ângulo de Aréola, que só observou o gol improvável.

 

Era um excelente resultado para o Dijon. E sua torcida já comemorava quando, aos 46, Mbappé fez boa jogada pela direita e cruzou para Meunier decretar o triunfo do Paris Saint-Germain.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.