Parreira aprova futebol do Corinthians

O Corinthians da garra e da vitória. É assim que o técnico Carlos Alberto Parreira quer sua equipe lutando pela classificação para as semifinais do Torneio Rio-São Paulo. O treinador explicou que o futebol apresentado pelo Corinthians na vitória por 1 a 0 sobre o São Caetano, quarta-feira, em São Caetano, serve como modelo para o próximo jogo da equipe contra o Botafogo, domingo, no Morumbi. "Agora cada jogo será muito mais difícil. Vale seis pontos, pela concorrência na disputa da vaga", disse Parreira. "Por isso, a garra, a determinação como o time demonstrou diante do São Caetano serão fundamentais", analisou o técnico ao destacar ainda o comportamento da defesa principalmente nas bolas pelo alto. O treinador comemorou a inclusão do Corinthians no grupo dos quatro times que disputam diretamente a classificação para as semifinais. Ele disse que as posições ainda não estão definidas. "Acho que o Palmeiras pode se considerar em uma situação mais privilegiada. Mas a disputa vai até a última rodada", afirmou Parreira ao ressaltar que com mais uma vitória sua equipe ficará bem próxima da classificação. Parreira disse que o fato de o Corinthians não contar com nenhum jogador na seleção pode ser um ponto positivo na preparação do time para as partidas do Rio-São Paulo e a decisão contra o Cruzeiro pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil. "Eu gostaria de jogadores na seleção. Acho que uns quatro atletas do Corinthians mereceriam estar na seleção, mas não entro no mérito da convocação do treinador. Seria bom eu ter pelo menos dois jogadores convocados", ressaltou o treinador ao apostar que Dida estará na Copa do Mundo entre os três goleiros do Brasil. Hicks Muse - A diretoria do Corinthians continuou reunida hoje com a Hicks Muse discutindo a nova diretriz a ser seguida na parceria com a empresa norte-americana. O vice-presidente de Futebol do time do Parque São Jorge, Antonio Roque Citadini, afirmou que "as coisas estão caminhando bem", afastando qualquer hipótese de uma quebra de contrato da empresa norte-americana com o clube. Uma das propostas da reunião entre o Corinthians e a Hicks Muse é a construção do estádio, cujo investimento é calculado em US$ 100 milhões. As obras dos estádio deverão começar na segunda quinzena de abril. Mas as Hicks Muse insiste em baixar o investimento no futebol no Corinthians na temporada para tentar superar a crise financeira no mercado nacional e no exterior.

Agencia Estado,

21 Março 2002 | 20h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.