Parreira prioriza finalizações no primeiro treino com bola

Os chutes a gol foram a prioridade do técnico Carlos Alberto Parreira no primeiro treino com bola da seleção brasileira na preparação para a Copa do Mundo, na tarde desta quarta-feira, em Weggis. O treino ocorreu diante de 3.500 torcedores e milhares de jornalistas de todo o mundo. Foi o primeiro contato com a bola e também com a torcida, já que, pela manhã, o treino físico havia sido realizado com portões fechados. Os 23 jogadores participaram normalmente do treino, que durou pouco mais de uma hora - inclusive Ronaldo, que pela manhã havia corrido separado dos demais jogadores. Foi o primeiro treino para Ronaldinho Gaúcho, Luisão, Edmílson, Gilberto Silva e os goleiros Dida, Rogério Ceni e Júlio César, que haviam feito a avaliação médica e física pela manhã. Na primeira parte, os jogadores se dividiram em duas equipes e realizaram o popular treino de dois toques, em que é proibido conduzir a bola. Depois, todos praticaram finalizações. Três atacantes tinham de enfrentar a marcação de dois zagueiros - os gols mais festejados eram da trinca formada por Ronaldinho, Robinho e Roberto Carlos. Na saída do treino, os jogadores, que haviam dado entrevista antes da atividade, não atenderam à imprensa, mas deram autógrafos para alguns torcedores. "Esse ambiente é maravilhoso", havia dito Ronaldinho, antes do treino. Nesta quinta-feira, a seleção brasileira volta a treinar em dois períodos, às 4h15 e às 11h45 (horários de Brasília). A programação se repete até sábado. No domingo e na segunda, os treinos serão apenas à tarde. Na terça, dia 30, a seleção disputa um amistoso contra a seleção de Lucerna, na Basiléia, às 15h30 (de Brasília). O Brasil deixa Weggis no sábado, 3 de junho, e no dia seguinte faz seu último amistoso antes da Copa, contra a Nova Zelândia, em Genebra. No mesmo dia, viaja para a Alemanha, onde inicia a segunda etapa da preparação para a Copa, em Königstein. A estréia no Mundial será no dia 13 de junho, em Berlim, contra a Croácia.

Agencia Estado,

24 Maio 2006 | 14h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.