Parreira: "Só talento individual não ganha a Copa"

O técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira, reafirmou nesta quinta-feira sua prioridade pelo jogo coletivo, e afirmou que o Brasil não vencerá a Copa do Mundo da Alemanha se não se entrosar como equipe. "O Brasil tem os melhores jogadores do mundo, mas talento individual não basta para ganhar a Copa do Mundo. Temos de fazer com que esses jogadores atuem em função do time", afirmou o técnico, após o treino da tarde da seleção. Segundo Parreira, o talento dos jogadores faz com a seleção não tenha reservas. "Eu não considero que jogadores como Cicinho, Edmilson, Juninho Pernambucano e Robinho sejam reservas. Temos 23 jogadores que podem entrar e corresponder", declarou. Na primeira entrevista que concedeu desde o início dos treinos em Weggis, na Suíça, Parreira elogiou a dedicação de Ronaldo, que está há mais de um mês sem jogar e ganhou um calendário especial de treinos. "Ele está melhor agora do que em 2002, quando chegou à Copa depois de praticamente dois anos sem jogar. Ele está bem, quase no peso e perto do percentual de gordura ideal", afirmou o treinador. Sob pressão Durante boa parte da movimentação da tarde, que durou cerca de uma hora e meia, os jogadores foram divididos em três times, que se revezavam num treino de marcação sob pressão. Depois, houve treino de finalizações. Nesta sexta, a seleção volta a treinar em dois períodos: às 4h15 e às 11h45 (horários de Brasília). A mesma programação está prevista para o sábado. No domingo e na segunda, a seleção treina apenas à tarde, e na terça faz seu primeiro amistoso na fase final de preparação, contra a Seleção da Lucerna, na cidade da Basiléia. No domingo, dia 4 de junho, enfrenta a Nova Zelândia. Questionado sobre a falta de jogos contra equipes mais fortes, Parreira disse que foi uma opção da comissão técnica priorizar os treinamentos físicos e técnicos como forma de entrosar a equipe. Ele enfatizou a importância de recuperar os jogadores fisicamente. "A preparação física é parte de um trabaho necessário para montar um time, e é muito importante. Numa competição como a Copa do Mundo, se o condicionamento não é bom você vai sofrer no fim das partidas", explicou o treinador.

Agencia Estado,

25 Maio 2006 | 13h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.