1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Passagem de Lugano pelo Cerro teve muitos gols, mas pouco brilho

- Atualizado: 07 Janeiro 2016 | 20h 13

Para imprensa paraguaia, zagueiro não fez grandes atuações

A curta passagem de Diego Lugano pelo Cerro Porteño teve gols, cartões amarelos e poucos elogios da imprensa. O Estado entrou em contato com jornalistas paraguaios para ouvir avaliações sobre o defensor de 35 anos, que deve ser anunciado pelo São Paulo nesta sexta-feira. Apesar de atuações discretas, pelo menos o uruguaio chega ao Brasil com bons números.

Em 15 jogos no futebol paraguaio, Lugano marcou cinco gols, a média mais alta da carreira. A passagem curta do defensor teve como positivo a ausência de lesões, problema que chegou o afastar dos gramados por quase um ano e o levou a se recuperar no próprio CT da Barra Funda, em 2014, para readquirir a forma física durante o segundo semestre.

Diego Lugano no São Paulo
Agliberto Lima/Estadão
Relembre a primeira passagem de Lugano pelo São Paulo

Em 2003, a contratação de Diego Lugano foi uma aposta do presidente Marcelo Portugal Gouvêa, que buscava solução para resolver a criticada defesa do São Paulo. O time foi buscar um zagueiro reserva do Nacional, do Uruguai, e que atuava pela seleção  sub-23 do Uruguai.

"Lugano é um jogador de experiência, ainda rende futebolisticamente. Ele sabe lidar com a pressão da imprensa, dos resultados e da diretoria. Mas teve um rendimento normal. Não foi um dos melhores do campeonato", comentou o jornalista Miguel Cáceres, do jornal ABC Color. Lugano terminou como vice-campeão paraguaio e teve a infelicidade de na decisão, contra o Olimpia, marcar um gol contra.

O uruguaio chegou ao Cerro Porteño com o campeonato já iniciado. A estreia foi apenas na quinta rodada, de um total de 22 compromissos. Como os jogos eram apenas uma vez por semana, o período de descanso ajudou Lugano a manter a regularidade em campo. A sequência dele só foi atrapalhada por duas suspensões causadas pelo acúmulo de cartões amarelos. Na Liga Paraguaia, a cada cinco advertências, o atleta fica uma partida fora.

No Paraguai o defensor demonstrou liderança, mas ficou abaixo das expectativas. "Na primeira partida ele jogou bem, gerou entusiasmo e trouxe ânimo. Mas no fim, o Lugano terminou com um rendimento abaixo do esperado, com atuações normais", disse Cristhian Tindel, da rádio La Deportiva 1120 AM, de Assunção.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX