Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Patrocínio faz Palmeiras arrecadar R$ 66 mi com uniforme

Futebol

Cesar Greco|Agência Palmeiras

Esportes

Palmeiras

Patrocínio faz Palmeiras arrecadar R$ 66 mi com uniforme

Clube vai arrecadar ainda mais com anúncio no meião

0

Daniel Batista,
O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2016 | 07h03

O Palmeiras confirmou nesta sexta-feira a exclusividade da Crefisa e da FAM como patrocinadores na camisa do clube para a temporada 2016. A novidade ficou para a presença das marcas também no meião e nos shorts dos jogadores, algo que fará o clube arrecadar ainda mais no novo acordo. Serão R$ 58 milhões na camisa e mais R$ 8 milhões pelos novos anúncios, totalizando R$ 66 milhões de patrocínio só com o uniforme alviverde.

Anteriormente, Crefisa e FAM pagavam R$ 42 milhões para ter o anúncio, enquanto Prevent Senior e Tim pagavam R$ 8 milhões, totalizando R$ 50 milhões de patrocínio. O acordo faz com que o Palmeiras amplie a vantagem na lista dos clubes que mais arrecadam com anúncios em camisa.

Além dos R$ 66 milhões investidos na camisa palmeirense, as empresas também já investiram na reforma do CT do clube, na construção de um hotel para os atletas ficarem hospedados. As obras foram paralisadas em novembro do ano passado, após a presidente das parceiras do clube, Leila Pereira, se irritar com algumas decisões de Paulo Nobre. O estopim foi o fato de ser cogitado a possibilidade da Adidas lançar uma camisa retrô com o símbolo da Parmalat.

As empresas também investiram em reforços. Lucas Barrios tem sido pago integralmente pela parceira e o zagueiro Vitor Hugo chegou ao clube por empréstimo e acabou sendo contratado com dinheiro da Crefisa e FAM.

A expectativa agora fica para a possibilidade da empresária voltar a investir em nomes de peso. Paulo Nobre garante que não tem interesse em contar com apoio externos, já que vê a necessidade do Palmeiras caminhar com as próprias pernas, entretanto, existe muita pressão no dirigente para que ele aceite o apoio da parceira.  

 

Comentários