Pedrinho: rotina de dor e esperança

Pedrinho tem 24 anos e apenas um sonho na vida. Depois de tantas contusões, enfrentadas com bravura e a companhia da família, sonha voltar ao futebol rapidamente para retribuir o carinho que recebeu do Palmeiras. No futuro imediato, não projeta mais do que isso. ?Para que sonhar? Sempre que alguma coisa boa acontece na minha vida, uma ruim vem em seguida. Só penso no meu dia-a-dia?, diz o meia, que se recupera há três meses do rompimento dos ligamentos cruzados do joelho direito. Leia mais no Jornal da Tarde

Agencia Estado,

08 Março 2002 | 09h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.