Stephane Mahe/ Reuters
Stephane Mahe/ Reuters

Polícia vai ao PSG e nas casas de Di Mária e Pastore por fraude

Jogadores são acusados de utilizar paraísos fiscais para não pagar impostos na França

O Estado de S.Paulo

23 Maio 2017 | 10h21

A polícia nacional da França fez buscas na sede do Paris Saint-Germain e nas casas dos jogadores Ángel Di María e Javier Pastore nesta terça-feira por causa de uma investigação por fraude fiscal.  

A operação faz parte de uma investigação após o site Football Leaks divulgar no ano passado documentos com movimentações de jogadores sul-americanos, que enviavam para paraísos fiscais no Panamá ou nas Ilhas Virgens receitas provenientes do direito de imagem. As informações são do jornal espanhol El Mundo

Segundo o periódico, Di María enviou ao menos 5,1 milhões de euros (R$ 18,7 milhões) para uma conta na Suíça através de uma empresa no Paraná. Pastore é suspeito de utilizar o mesmo esquema com 1,9 milhão de euros (R$ 6,9 milhões). 

Neste esquema, os valores recebidos pelos jogadores não eram tributados pelo fisco francês. A polícia francesa suspeita que o PSG tenha sido cúmplice das fraudes fiscais, embora o clube tenha informação que não tem qualquer conhecimento das ações de Di Mária e Pastore.  

As investigações estão sendo conduzidas pelos serviços centrais de luta contra corrupção e infrações financeiras.

Mais conteúdo sobre:
Futebol Paris Saint-Germain

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.