Ponte, em crise, dispensa 3 jogadores

Sem chances de chegar às semifinais do Torneio Rio-São Paulo, a diretoria da Ponte Preta resolveu antecipar seus planos de renovação para o segundo semestre desta temporada. A diretoria anunciou, nesta quinta-feira à tarde, a dispensa de três jogadores: o lateral-direito Rodrigo Chagas, o atacante Paulo César e o meia Marquinhos. Os motivos alegados para estas liberações foram vários. Um deles, o critério técnico. Outro: os altos salários. Além de um contexto custo/benefício. Os jogadores foram comunicados pela manhã e não se apresentaram junto com o elenco à tarde no centro de treinamento do clube. Paulo César será devolvido ao Vasco, enquanto Marquinhos tem passe livre. Quanto a Rodrigo Chagas ele também não tem vínculo com outro clube e, curiosamente, foi o último jogador a ser contratado para esta temporada, mas acabou decepcionando. O supervisor Dicá ficou com a responsabilidade de explicar a medida. Ele fez questão de esclarecer que não houve nenhum caso de indisciplina, inclusive elogiando a conduta dos jogadores fora de campo. "Vamos priorizar os jogadores formados em casa." Outros jogadores também estão perto de deixar o Majestoso, como o veterano zagueiro Ronaldão, de 36 anos, que não tem sido aproveitado como titular, além de apresentar seguidas contusões. O goleiro Ronaldo e o meia Caíco, contratados nesta temporada, também estariam sendo avaliados. Esta renovação acabou livrando a demissão da comissão técnica. Oswaldo Alvarez, o Vadão, continua no cargo auxiliado por Ivo Secchi. Eles, agora, vão tentar reanimar o grupo para tentar ficar entre os seis primeiros do Rio-SP para garantir uma vaga na Copa dos Campeões. O primeiro desafio será diante do Flamengo, sábado, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. O goleiro Ronaldo, com um estiramento na perna direita, está vetado pelo departamento médico e deve ser substituído por Alexandre Negri. O zagueiro Rodrigo volta ao time depois de cumprir suspensão automática na derrota para a Portuguesa, por 3 a 2. Ponte e Portuguesa têm 14 pontos e fazem a pior campanha entre os paulistas na competição. O time campineiro tem melhor saldo de gols - zero - contra menos nove da Portuguesa.

Agencia Estado,

21 Março 2002 | 18h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.