Portador do HIV pode voltar a jogar

O jogador brasileiro Eduardo Esidio, que em 97 anunciou ser portador do vírus HIV, está perto de ser contratado pelo Universitário de Deportes, de Lima, um dos clubes mais populares do Peru. A contratação do soropositivo foi recomendada pelo técnico do time, Oswaldo Piazza. "Eu acho que ele seria útil ao time, mas caberá à direção decidir se vai contratá-lo ou não?, disse Piazza, que em 2.000 chegou a trabalhar com o brasileiro, a quem elogiou por sua ?contundência, definição e presença de área?. O médico do clube, Julio Segura, disse que o quadro clínico de Esidio ?é estável e sem complicações?. Especialistas que o acompanharam nos últimos anos acreditam que a atividade física que o atleta se vê obrigado a desenvolver no futebol, acaba gerando as defesas que seu organismo precisa. O caso do jogador brasileiro ganhou repercussão mundial no final da década passada quando, por meio de uma ação judicial, teve garantido seu direito de trabalhar, depois de ter revelado sua enfermidade. Em 2000 Esidio foi considerado o goleador do ano pela Fifa - por ter feitos mais gols em partidas internacionais. Atualmente, está sem clube.

Agencia Estado,

23 Agosto 2002 | 16h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.