Portugal limita gastos com a Eurocopa

O governo português pretende limitar seu gasto com as reformas ou construções de 10 estádios para a realização do próximo Campeonato Europeu de Seleções, a Eucopa 2004, em um quarto do valor total das obras. A afirmação é do primeiro-ministro português, José Manuel Durao Barroso, que justificou a decisão dizendo que o presente governo não pode atualizar os valores dos compromissos assumidos pela administração passada. Também não serão assumidos novos compromissos para a realização do evento além daqueles que já foram firmados. O governo pretende, ainda, inspecionar as obras mensalmente, através de auditorias. Foi estudado, inclusive, o cancelamento da construção de três estádios: Coimbra, Leiria e Faro. Segundo declarações da ministra das Finanças portuguesa, a Eurocopa trará alguns benefícios turísticos, mas que não chegam a compensar o esforço financeiro.

Agencia Estado,

20 Agosto 2002 | 16h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.