Portuguesa derrota Ponte por 3 a 2

A Portuguesa venceu a Ponte Preta, por 3 a 2, nesta quarta-feira à noite no Canindé e deu um importante passo na caminhada rumo ao Rio-São Paulo do ano que vem. Agora o time do técnico Valdir Espinosa está com 14 pontos, ao lado da própria Ponte. Esse foi o quinto jogo consecutivo da Ponte Preta sem vitória. No começo do jogo parecia que ia dar tudo errado. Logo aos três minutos, o time de Campinas fez 1 a 0. A zaga da Portuguesa avançou com o intuito de deixar o atacante Washington impedido. Esperto, Marquinhos apareceu de trás, recebeu lançamento de Adrianinho e tocou para Washington, que sem goleiro tocou para o fundo das redes. Com este resultado, a Ponte deixaria o clube do Canindé disparado na última colocação entre os paulistas, o que pelo regulamento da competição (se nada mudar) rebaixaria a equipe. Porém, apenas sete minutos depois, o empate. Ricardo Oliveira escapou pela direita, entrou na área e rolou para Sinval, que chutou no ângulo do goleiro Ronaldo. Depois desse gol a Ponte Preta tentou ir para cima. A equipe do artilheiro Washington tinha maior posse de bola, mas sem objetividade. Nos contra-ataques quem levava mais perigo era o time da casa. Em um desses contra-ataques, Ricardo Oliveira chutou no canto e Ronaldo espalmou para escanteio. Na cobrança Sílvio Criciúma virou o jogo. Assim como na primeira etapa, o segundo tempo também teve um gol relâmpago. Aos dois minutos, Ricardo Oliveira cruzou da direita e Evandro entrou de carrinho mandando a bola no canto direito de Ronaldo. O autor do terceiro gol, aliás, jogou bastante gripado e saiu de campo muito aplaudido. Com vários meses de salário atrasado, Evandro teve até que vender o carro para pagar suas contas. Com 3 a 1 no placar e melhor em campo a Portuguesa comandava o jogo. Porem, aos 36 minutos Rogério Pinheiro derrubou Mineiro na área e o juiz Cléber Wellington da Silva marcou pênalti. Washington, que vinha sendo bastante xingado pela torcida da Ponte, cobrou, mas Bosco defendeu. No rebote Rodrigo Chagas bateu forte e Bosco defendeu de novo, mas aí Mineiro tocou de cabeça e descontou. Esse foi o terceiro jogo consecutivo do Rio-São Paulo que o volante marca. Depois do gol, o goleiro Ronaldo se machucou e teve que sair. Como Oswaldo Alvarez já havia feito as três substituições, o lateral Eduardo foi para o gol, mas o placar não se alterou. Ao final do jogo, o clima na Portuguesa era de alívio. "Nosso time retomou a confiança depois do jogo contra o Criciúma (semana passada, vitória por 1 a 0) e estamos mostrando nosso verdadeiro potencial", disse o zagueiro Sílvio Criciúma.

Agencia Estado,

20 Março 2002 | 22h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.