1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Preparador quer físico como diferencial do Botafogo

AE - Agência Estado

01 Julho 2014 | 19h 01

O principal reforço do Botafogo para o segundo semestre talvez seja um profissional que atua fora das quatro linhas. O preparador físico Moraci Sant''Anna, integrante da comissão técnica que venceu a Copa do Mundo de 1994 com a seleção brasileira, comanda os treinos físicos da equipe carioca desde o último dia 16, quando o time retomou os treinamentos após recesso por conta da pausa nas competições oficiais durante o Mundial deste ano.

Sant''Anna ressaltou a importância do recesso de 15 dias que os jogadores tiveram antes de retornar ao treino. "Devemos considerar que eles tiveram esse tempo de recuperação e trabalhar forte agora, até para que possamos chegar na volta do Campeonato Brasileiro com um nível bastante alto na condição física, que passa a ser o diferencial da equipe", avaliou.

O preparador físico admite diferenças no nível físico da equipe, mas afirma que as próximas semanas serão utilizadas para fazer com que todo o grupo esteja bem preparado para o restante da temporada. "Pelo que vi nas avaliações, é lógico que algumas valências físicas estão abaixo e outras acima, o que é normal em um grupo de 30 jogadores. Montei uma programação e, se até agora foi feito um trabalho mais coletivo, a tendência daqui para a frente é individualizar", revelou.

Com a experiência de quem trabalha há 40 anos com equipes de futebol, Sant''Anna elogiou o empenho do elenco botafoguense nas primeiras duas semanas de atividade. "A entrega dos jogadores está sendo excelente. Tivemos excelentes respostas nos treinos e alcançamos um ganho bastante significativo durante as duas semanas em que a preparação física tem sido priorizada", afirmou.

O Botafogo retorna às competições oficiais no próximo dia 16 contra o Sport, no estádio da Ilha do Retiro, no Recife, em partida válida pelo Brasileirão. Nos 15 dias que restam até a partida, Sant''Anna espera deixar os atletas preparados para atuarem de acordo com a preferência do técnico Vagner Mancini, que gosta de um time mais veloz.

"Tenho que levar sempre em consideração o plano tático que o Mancini precisa colocar em prática. De uma maneira geral o jogo tem que ser rápido. É essa a filosofia do Mancini e sempre levo essa tática em consideração no meu trabalho. É um jogo de xadrez que tem que ser bem montado", disse Sant´Anna.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo