Alessandro Garofalo/Reuters
Alessandro Garofalo/Reuters

Presidente da Fifa lamenta por 'idiotas' que protagonizam atos racistas no futebol

Gianni Infantino promete trabalhar junto com o meia ganês Muntari depois de incidentes no Campeonato Italiano

EFE

09 Maio 2017 | 09h38

O presidente da Fifa, o suíço Gianni Infantino, lamentou que haja "idiotas" que mantêm atitudes racistas no futebol e assegurou que falará com o meia ganês do Pescara Sulley Muntari para trabalhar junto a ele na luta contra este problema.

"Falarei com Muntari e trabalharemos juntos. Lamentavelmente há idiotas em todas partes, mas temos que combatê-los e trabalhar frente a eles", disse Infantino antes de iniciar a reunião que o Conselho da Fifa realiza nesta terça-feira em Manama, prévia ao Congresso do organismo na próxima quinta-feira na capital do Bahrein.

Infantino se referiu assim ao incidente protagonizado no dia 30 de abril pelo meia Sulley Muntari, que abandonou o campo na partida contra o Cagliari, da Série A italiana, em sinal de protesto após escutar cantos racistas desde as arquibancadas.

Muntari pediu ao juiz que interrompesse o encontro no minuto 90 por causa desses insultos e como este não aceitou sua solicitação e inclusive lhe mostrou cartão amarelo, Muntari deixou o gramado do estádio Sant'Elia e sua equipe com 10 jogadores no encontro, que foi vencido pelo Cagliari (1-0).

Infantino, que reiterou sua "total solidariedade" com Muntari, depois punido com uma partida pela Federação Italiana (FIGC) indicou também sua intenção de falar com o presidente da Associação Italiana (FA), Carlo Tavecchio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.