Presidente do Palmeiras evita falar de Cuca: 'Queremos técnico o quanto antes'

Maurício Galiotte promete definição rápida de treinador após demissão de Eduardo Baptista

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

05 Maio 2017 | 11h30

O Palmeiras não quer demorar para definir o nome técnico do time. O presidente do clube, Maurício Galiotte, garantiu em entrevista coletiva nesta sexta-feira estar com pressa para encontrar o substituto de Eduardo Baptista, demitido na quinta à noite, e evitou falar sobre possíveis sucessores, como Cuca, campeão brasileiro pela equipe no ano passado e afastado do futebol para cuidar de problemas pessoais.

Cuca é o favorito do clube e um dos nomes mais pedidos pela torcida. O treinador voltou a morar em Curitiba, com a família, e deixou o Palmeiras após ganhar o Brasileiro de 2016. "O Cuca saiu em dezembro por problemas particulares, e isso ele mesmo me disse, em novembro ainda, que não poderia continuar e que precisaria de seis meses parado em 2017", disse Galiotte. O presidente negou que o treinador teve problemas de ambiente no Palmeiras.

Galiotte explicou ter demitido Baptista após quatro meses e 70% de aproveitamento em jogos oficiais pelo rendimento do time abaixo do esperado. "O importante é dizer que o trabalho feito pelo Eduardo foi executado com muita dedicação, muito comprometimento, e o Palmeiras agradece muito. Em relação ao próximo treinador, ao perfil e ao estilo, nós falaremos no futuro", afirmou.

O dirigente, junto com o diretor de futebol, Alexandre Mattos, é quem vai trabalhar na busca pelo novo treinador. "Em relação ao nome para substituir o Eduardo, vamos a partir desse momento trabalhar internamente e assim que tivermos uma situação mais evoluída passaremos aos senhores", disse. "Não temos exatamente a resposta de quantos dias vamos levar, mas vamos trabalhar para ter o novo treinador o mais rápido possível. Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para trazer o técnico que vai nos trazer sucesso", afirmou.

O elenco tem como próximo compromisso a estreia no Campeonato Brasileiro, no dia 14, contra o Vasco, no Allianz Parque. Galiotte admitiu que a troca de treinador vai atrapalhar o planejamento do time. "Todos nós temos parcela de culpa. Nós acertamos e erramos. Quando a gente não acerta, temos que agir. E nós avaliamos que era momento de agir. O importante é agir para correção da rota", explicou.

Mais conteúdo sobre:
Palmeiras Cuca Cuca (técnico)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.