1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Prioridade do Santos é enxugar elenco para 2º semestre

AE - Agência Estado

08 Junho 2014 | 08h 17

O rombo de R$ 40 milhões nas contas de 2013, apesar das vendas de Neymar, Felipe Anderson e Rafael, mostrou que uma necessidade urgente no Santos: é preciso negociar dois os três jogadores para reequilibrar as finanças e, em seguida, redirecionar a sua política salarial, deixando de gastar mais do que arrecada.

O primeiro a sair pode ser o chileno Mena. Isso mesmo depois de, na última sexta-feira, a diretoria ter pagado mais US$ 1,2 milhão (R$ 2,7 milhões) à Universidad de Chile para ficar em definitivo por mais três anos com o lateral-esquerdo, contratado por empréstimo no meio do ano passado por US$ 2,3 milhões.

Se não exercesse a preferência de compra, o clube teria de devolver o lateral-esquerdo. Ao todo, o chileno custou ao Santos US$ 3,5 milhões (mais de R$ 7,7 milhões). Agora, os dirigentes torcem pela valorização do jogador da seleção chilena na Copa do Mundo e para que apareça algum interessado do exterior para vendê-lo com lucro.

A redução de gastos deve ser iniciada já com a substituição de Cícero, que ganhava R$ 350 mil por mês, por Souza, que teria concordado com o salário de R$ 150 mil mensais. E a mesma linha vai ser seguida caso se confirme a chegada de mais um zagueiro, um armador e um atacante de área.